O que fazer quando perder o emprego em plena crise econômica

Categoria: Dicas, Empregos, Profissionais

  

Algumas análises podem ser feitas e atitudes serem tomadas para não ser pego de surpresa com uma demissão em plena crise.

Perder o empregogeralmente não é algo que consta na lista de projetos pessoais de nenhum profissional (a não ser que ele não queira ser um). Mas nos momentos de crise, em especial quando o mercado de trabalho passa por uma crise financeira muito forte, que é o caso nos últimos tempos, a tendência é que se preocupe mesmo com o cargo.  Saber o que fazer quando perder o emprego em plena crise é algo que o profissional deve pensar mesmo se nunca tiver passado por uma. Vejamos alguns pontos para analisar e ver o que é possível fazer a respeito.

– Quem são os primeiros a serem demitidos?

Cada empresa conta com um método de corte de pessoal em tempos de crise diferente. Algumas cortam os profissionais que ganham mais, outras os solteiros em sacrifico daqueles que tem famílias e etc. Nesse ponto uma coisa é certa: não importa se a pessoa é casada, solteira ou filho de um rei, os profissionais que apresentam resultados ruins ou medianos são os primeiros na linha de frente das demissões.

– É melhor trocar de emprego, esperar ser demitido ou aguardar a crise passar?

Em suma é melhor esperar, às vezes o profissional nem será atingido e caso seja uma crise passageira ele terá a oportunidade de continuar no emprego. O ideal é que o profissional se esforce para apresentar resultados de nível “excelente” mesmo sem crise. Isso é um ponto a favor dele em momentos de crise.



Agora se não teve jeito mesmo e a pessoa perdeu o emprego a primeira coisa a se fazer é manter a calma. Desespero não leva a lugar algum e ainda bloqueia o pensamento racional para possíveis saídas.

A pessoa que perde o emprego com crise ou sem crise tem que procurar outro. Entretanto, com a crise a coisa fica bem pior. É exatamente isso que o profissional tem que aproveitar, “o pior”. Em muitos casos, é uma boa chance de começar a empreender e iniciar uma atividade em uma área que não vem sendo tão afetada pela crise no mercado de trabalho.

Outra dica é procurar emprego naqueles setores “neutros”. Ou seja, com a crise em plena erupção existem áreas que não “estão nem aí” e continuam a crescer.

Uma última observação a ser feita é o fato de que o profissional precisa saber o que acontece no mercado mesmo quando estiver tudo bem. Se ele souber conhecer aspectos como rotatividade, áreas promissoras, a sua função e o espaço dela no mercado entre outros pontos, em caso de uma possível demissão ele já terá mais ou menos delimitado um caminho e não ficará sem rumo não sabendo para que direção ir.

Por Denisson Soares



Artigos Relacionados

Deixar um Comentário