Relevância da linguagem corporal na entrevista

Categoria: Dicas, Entrevista, Linguagem Corporal

  

É preciso ficar atento ao que o seu corpo diz ao recrutador no momento da entrevista, pois pode ser decisivo para obter um resultado positivo.

A linguagem corporal está presente em tudo o que fazemos. Seja ao acordar e mover o corpo para um lado, ao se espreguiçar, seja em um momento de tensão como numa entrevista de emprego. E o pior de tudo é que nesta última situação existe uma pessoa do outro lado para avaliar o que o seu corpo está dizendo.

Ao entrar em uma sala para entrevista, seu corpo já diz de alguma forma a que veio para o recrutador. Alguns sensíveis avaliadores conseguem discernir com certa clareza qual a sua carga de tensão naquele momento. Isso pode mudar minutos depois, mas é melhor se atentar logo antes de entrar na sala.

Sua postura no olhar, ao encarar o entrevistador, ou mesmo ao evitar olhá-lo nos olhos, pode indicar uma certa aversão ao contato humano, segundo alguns especialistas. Da mesma forma, se descuidar com a roupa a ser usada no dia D revela o grau de importância que você pode estar dando ao momento.

O aperto de mão, por exemplo, para muitos precisa ser consistente, e não apenas um “toque” de mãos. O tom de voz ao se dirigir para o interlocutor também é simbólico e significativo. E se você costuma gaguejar nos momentos de tensão, comece a se exercitar para evitá-lo – a não se que a gagueira seja na sua vida mais do que um simples “jeito de corpo”, e passe a ser algo fisiologicamente considerado com um distúrbio.



Outra dica importante é que o entrevistado não deixe transparecer desconhecimento do assunto. Se a proposta é de um trabalho ligado diretamente ao público consumidor, revele as suas aptidões no relacionamento interpessoal. Se a proposta é para um trabalho que exija esforço físico, considere-se capaz de exercer aquelas atribuições.

Por fim, cuidado com gestos corporais e tiques de nervosismos instantâneos. Não mude de posicionamento na cadeira a cada segundo, pois pode demonstrar inquietação diante do que está sendo perguntado. Evite levar a mãos por diversas vezes na cabeça (fingindo estar coçando o couro cabeludo, ou o nariz, ou as orelhas). Trabalhe as pausas da sua respiração e também atente para o movimento de pés e mãos, pois eles “falam” bastante nessas horas.

Sucesso na entrevista.

Por Alberto Vicente



Artigos Relacionados

Deixar um Comentário