Desemprego na indústria aumentou no 1º semestre de 2015

Categoria: Desemprego, Empregos, Indústria

  

A taxa de empregos na indústria apresentou queda de 5,2% nos primeiros seis meses do ano de 2015. No acumulado dos últimos 12 meses também há a queda, sendo de 4,6%.

O atual cenário econômico brasileiro traz consigo uma grande quantidade de consequências negativas. Um dos setores mais atingidos pela crise é, sem sombra de dúvidas, a indústria, haja vista a queda na taxa de empregos da indústria pelo sexto mês consecutivo. Dessa forma, os dados oficiais apontam que o mês de junho registrou um recuo de 1% quando comparado com maio. Esse é um dado oficial do Instituto Brasileiro de Geografia de Estatística.

O resultado negativo não é exclusivo do mês de junho, pois no primeiro semestre de 2015 o recuo no número de empregos nas fábricas de todo o Brasil já registra um recuo de 5,2%. Além disso, é importante destacar que o resultado acumulado dos últimos doze meses também é negativo: baixa de 4,6%. Outro detalhe muito importante é a comparação com junho de 2014, que aponta um recuo de 6,3% no emprego industrial. Trata-se nada menos que a maior queda desde agosto de 2009.

Os dados apresentados nesta matéria são bastante preocupantes, pois, segundo o IBGE, a grande maioria dos setores que participaram da pesquisa registraram baixas nos empregos quando comparado a junho 2014.



Dentre as categorias que mais sofreram com a baixa de emprego está a de máquinas e aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações que registrou baixa de 13,9%. Logo em seguida temos o segmento de produtos de metal que registrou recuo de 11,8%. O segmento de meios de transporte ficou com baixa de 11,4%. Logo em seguida temos: máquinas e equipamentos, vestuário e alimentos e bebidas com baixas de 8,9%, 6,7% e 3,0%, respectivamente.

Além disso, vale ressaltar que a análise do segundo trimestre mostrou que o nível de assalariados na indústria sofreu retração de 5,8%, portanto, temos a 15ª taxa negativa de forma consecutiva.

Com tais baixas é evidente que a produção industrial também caiu. Mesmo após mostrar resultados positivos em maio, a produção industrial acabou mesmo por registrar uma retração de 0,3% no mês de junho.

Por Bruno Henrique



Artigos Relacionados

Deixar um Comentário