Características dos líderes variam de acordo com o País

Categoria: Empregos, Líderes, Trabalho

  

Mesmo com um mundo globalizado, as qualidades individuais que os líderes possuem variam muito de país para país.

Um levantamento realizado com cerca de 1.500 profissionais de cargos variados e que atuam em 15 diferentes países revelou que mesmo com as qualidades desejadas por uma empresa, os líderes com um perfil globalizado e com alta capacidade de adaptação para atuar em um mercado cada dia mais interligado e conectado, possuem qualidades individuais que variam muito de país para país.

O levantamento foi feito pelo Coaching Research Institute, um centro de pesquisas que está ligado à empresa Coach A. Para levantar os dados necessários, foi perguntado aos entrevistados quais as características de liderança que consideram ideais em um funcionário, dividindo-as em ordem de importância, em dois grandes grupos: as que são essenciais e as que os seus líderes realmente têm.

As características mais desejadas citadas no Brasil foram assumir responsabilidades, ser humilde e saber motivar os companheiros de trabalho. Já no resultado global, o topo dos resultados ficou com assumir responsabilidades, capacidade de motivação dos companheiros e saber ouvir. A característica humildade apareceu somente na oitava posição. Já em países como Alemanha, China e Rússia, a habilidade de fortalecer o ambiente de trabalho e a equipe ficou entre as mais destacadas.

Já dentre as características que são as que os líderes possuem no Brasil, a característica de delegar autoridade apareceu com destaque, assim como o pensamento estratégico e instruções claras. No resto do mundo, características como delegar autoridade, valorização da diversidade e assumir responsabilidades tiveram maior destaque.



Jaqueine Weigel, diretora da Weigel Coaching acredita que os resultados diferenciados são influenciados pela história, cultura e clima, e também do ambiente político de cada país. Não há como generalizar as características de liderança de uma forma global. O que pode ser uma boa característica para um país, pode não ser para o outro. No Japão, por exemplo, as características admiradas são a humildade e o pensamento estratégico.

Segundo a diretora, as empresas multinacionais precisam ter cuidado ao implantar uma filial em um outro país. Nem sempre a cultura da matriz se adaptará corretamente em um outro país. É necessário conhecer bem o local onde a filial irá se localizar, para se adaptar sem a perda da identidade.

Jaqueline critica ainda a postura do gestor brasileiro, que “terceiriza responsabilidades” e procura culpados cada vez que algo não vai bem. Essas posturas fazem os dirigentes brasileiros terem uma péssima imagem, sendo taxados de arrogantes, péssimos ouvintes e focados exclusivamente em processos e resultados positivos.  Para ela, é necessária uma mudança: o verdadeiro líder deve se doar em prol do outro e da empresa, para fomentar o crescimento do todo. É necessária uma evolução para que os nossos gestores parem de ter a imagem apenas de chefes e não se tornarem obsoletos.

Por Patrícia Generoso



Artigos Relacionados

Deixar um Comentário