Salário pago às mulheres é menor do que é pago aos homens

Categoria: Homens, Mulheres, Salário

  

Pesquisa revelou que no ano de 2013 a média dos salários pagos aos homens era 40,5% maior do que o pago às mulheres que exerciam a mesma função.

Há quem diga que existe a igualdade entre os sexos. É verdade que muito já se conquistou, desde o começo da luta das mulheres por igualdade de direitos e oportunidades. Mas infelizmente, muitas características de uma cultura machista ainda continuam a povoar nosso país. Um dos maiores diferenciais de tratamento entre homens e mulheres no Brasil é o salário: um levantamento feito pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), revelou que no ano de 2013 a média dos salários pagos aos homens era 40,5% maior do que o pago às mulheres que exerciam a mesma função.

Os dados foram divulgados na última sexta-feira (dia 4) e contém dados do ano de 2013, pois somente agora as informações foram liberadas. O levantamento foi feito a partir das informações do Cempre (Cadastro Central de Empresas).

A pesquisa revelou também que a participação feminina entre os anos de 2009 e 2013 aumentou: passou de 35,5% para 37,7%. Mas mesmo com a alta da participação feminina nas empresas, parece que os empresários não estão dispostos a valorizar essa importante mão de obra.



Quanto ao aumento salarial as mulheres também estão em desvantagem: a pesquisa mostrou que enquanto as mulheres tiveram um aumento médio mensal de 3,5%, os homens passaram a receber 3,9% de aumento.

É inaceitável, que em pleno século XXI, os salários continuem tendo como base o sexo do trabalhador, e não em sua escolaridade ou competência. Pagar menos a uma mulher demonstra o quanto o preconceito ainda está presente nas pequenas e grandes empresas pelo país, pois ao longo de tantas décadas de luta, e de tantas provas de que o rendimento no trabalho independe do sexo do trabalhador, alguns patrões ainda insistem em diferenciar os salários, sem nenhuma justificativa.

Enquanto não houver uma fiscalização efetiva para garantir as mulheres igualdade nos salários, absurdos como esse continuarão a serem vistos. E o fato se agrava ainda mais, pois nos últimos anos também cresceu o número de mulheres que assumem o papel de únicas provedoras financeiras de suas casas. Então estas mulheres podem garantir um futuro digno aos filhos e a família, se ainda recebem menos? 

Por Patrícia Generoso



Artigos Relacionados

Deixar um Comentário