Participação de deficientes no mercado de trabalho aumentou

Categoria: Deficientes, Empregos, Mercado de Trabalho

  

Em 2014, a participação de pessoas com deficiência no mercado de trabalho cresceu 6,57%.

Foi registrada nesses últimos dias a informação através da Rais (Relação Anual de Informações Sociais) que os trabalhadores que apresentam algum tipo de deficiência conseguiram ter uma participação maior no mercado de trabalho. Esse valor foi registrado no último ano, onde cresceu em 6,57% e com isso a tendência é aumentar a cada dia.

Quem nunca teve a oportunidade de ver um portador de deficiência trabalhar dentro de um coletivo, como um ônibus, por exemplo, ou senão em estabelecimentos como farmácias e supermercados?

Nessa pesquisa revelada para o público no mês de setembro de 2015 foi informado que essa porcentagem de 6,57% corresponde em torno de 23,5 mil posições de emprego. Agora o que esses dados acabam provocando na sociedade?

Logo de cara percebemos que a sociedade está mudando a sua mentalidade e absorvendo a ideia da inclusão social de pessoas de todos os tipos e ainda notamos que o fato de um cidadão apresentar uma deficiência não é um empecilho para conseguir progredir e se desenvolver profissionalmente e pessoalmente.



Alguns profissionais do mercado de trabalho conseguiram dar o seu depoimento sobre essas informações, como Luis Carlso Motta, que é presidente da Fecomerciários (Federação dos Comerciários do Estado de São Paulo). Ele vê essas notícias com bons olhos, mas é mais cauteloso com relação ao futuro, pois uma coisa é estampar nas redes sociais e camisetas que no dia 21 de setembro devemos lembrar do Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência e outra coisa é lutarmos e agirmos para que essas pessoas que sofrem tanto preconceito, terem a chance de serem valorizadas e ao mesmo tempo a oportunidade de serem incluídas dentro do mercado de trabalho e demais setores.

O objetivo dessa data é fazer com que a cada dia, mais pessoas saiam da exclusão e venha para a inclusão. Essa é uma tarefa difícil, mas isso não significa impossível, pois a própria Fecomerciários promove várias campanhas para alertar os seus 2,7 milhões de trabalhadores que representa dentro de 68 sindicatos afiliados, a importância seja em dinâmicas ou palestras com relação à carência que o mercado passa de encontrar bons profissionais qualificados, que pode ser supridas inclusive pela contratação de profissionais que apresentam até mesmo um tipo de deficiência.

Eventos como o Reatech (Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, inclusão e Acessibilidade), onde na sua primeira edição teve 33 estantes e 1.500 participantes são exemplos, de suma importância para entendermos melhor a importância desses profissionais.

Por Fernanda de Godoi



Artigos Relacionados

Deixar um Comentário