Dicas de Como Manter as Contas em Dia ao Perder o Emprego

Categoria: Desemprego, Dicas

  

Confira aqui algumas dicas do que fazer para manter em dia as contas ao perder o emprego.

Ao contrário do que muitos dizem por aí, não está nada favorável quando o assunto é a economia do país. Estamos vivendo uma enorme recessão que tem deixado as pessoas cada vez mais inseguras quanto ao futuro.

Enfrentar o mercado de trabalho se tornou uma aventura que ninguém quer encarar. A taxa de desemprego tem subido como um rojão e hoje já é uma realidade em quase cem por cento de todos os segmentos. A dúvida de quanto tempo irá demorar a se realocar e como se manter neste tempo tem atormentado o sono dos brasileiros.

E você já parou para pensar, se caso você ficasse desempregado hoje como faria para manter o orçamento familiar sem passar por grandes apertos?

Se você já pensou e não chegou a uma conclusão, ou sequer ainda parou para refletir sobre isso, daremos 11 dicas para manter o orçamento da casa em dia se perder o emprego.

1. Conheça bem seus gastos

Do cafezinho a prestação do apartamento, tudo precisa estar bem explicitado em seu orçamento. É muito importante que você saiba quanto gasta e qual sua capacidade de ganho.

2. Revise as prioridades financeiras

Eliminar os supérfluos é fundamental. Se não puder eliminar, ao menos reduza ao máximo custos com TV a Cabo e Internet. Você pode conferir junto a sua operadora planos mais em conta, por exemplo. Tenha claramente aquilo que é prioridade ou não.

3. Tenha cuidado com tomadas de decisões financeiras

Um bom planejamento é indispensável quanto for necessário tomar alguma decisão financeira, como um empréstimo, por exemplo.

4. Reduza o tempo de despesas

É comum nos enganarmos com prestações que “cabem no bolso”. Como o dinheiro está curto, podemos nos enganar prolongando prestações apenas para pagar prestações menores.

5. Evite empréstimos

Como dissemos, você pode não saber quanto tempo se realocará, isso quer dizer que você não sabe se terá dinheiro futuramente.



6. Use as verbas rescisórias como reserva

FGTS, seguro-desemprego e demais valores da rescisão podem ser guardado como fundo segurador para pagar as despesas mensais.

7. Não use o FGTS de uma única vez

Escolha pagar as prestações já adquiridas aos poucos. Nada de se desesperar o usar o FGTS de uma única vez para quitar dívidas.

8. Deixe de lado os cartões de crédito

Em situação de desemprego, o cartão de credito pode ser o maior vilão, além de ter juros altos em caso de atrasos de pagamento.

9. Abandone o Cheque Especial

Controle a ansiedade daquele dinheiro “fácil”, você não sabe quando conseguirá repô-lo.

10. Procure nova fonte de renda

Qualquer possibilidade de ganho é bem-vinda, portanto, descubra ou mesmo utilize aquele talento escondido que pode lhe render algum valor financeiro.

11. Renegocie dívidas o mais rápido possível

Procure seus credores e verifique quais as melhores condições para pagamento de dívidas. Não espere virar uma bola de neve.

Por Jaime Pargan



Artigos Relacionados

Deixar um Comentário