Governo necessita investir mais em educação defende especialistas

Categoria: Educação, Investimento, Mão de Obra


A educação básica pública do país enfrenta inúmeros problemas, cabendo a futura gestão, melhorar a qualidade no ensino. Contudo, o governo brasileiro tem rebatido todas as críticas dirigidas à área educacional.

Fernando Haddad, ministro da Educação, contestou especialistas da Universidade de São Paulo (USP) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) no que se refere à defasagem da população. Para ele, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) apresentou crescimento nos dados coletados recentemente, baseados, então, no período entre 2005 e 2009.

Apesar dessas declarações, Haddad reconhece que o governo brasileiro precisa investir amplamente na área, em especial nos cursos técnicos e no ensino superior. Mesmo assim, assevera que muito em breve o mercado de trabalho conseguirá conquistar a tão almejada mão de obra qualificada na medida em que os empregos são criados.




O Brasil precisa, verdadeiramente, de políticas severas na área. A ampliação de oito anos de educação básica para nove anos, em meados de 2007, não denota melhorias. O Bolsa Família, que praticamente obriga o estudante a frequentar a escola para ter garantido o acesso ao benefício, é somente algo paliativo.

Com base em cada uma das partes interessadas – empresários e governo – a melhor remuneração do docente e investimentos na infraestrutura são princípios para resultados mais satisfatórios. Jô Soares, certa vez, disse: “professor é o material didático mais barato do mercado”. Para afastar esse estigma, políticas tem de ser implementadas.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: G1.


 

Quer se cadastrar grátis no Banco de Talentos do Vaga Emprego? Clique aqui e acesse o formulário.




Deixar um Comentário