O que é depressão pós-férias e como lidar com ela





Quando as férias chegam ao fim, muitos profissionais demoram para se adaptar a rotina de trabalho novamente como antes. Na verdade, essa fase de adaptação demora de uma semana a 14 dias para voltar.

Ana Maria Rossi, presidente da Isma-BR (Internacional Stress Management Association no Brasil), diz que é normal o profissional ter esses sintomas de readaptação, pois nas férias por exemplo, ele não tinha hora para almoçar, acordar, etc.


Se esses sintomas de adaptação se prolongarem, seguidos pelo cansaço excessivo, preguiça, sono e falta de concentração ou motivação desde o 15° ao 30° apos as férias, será caracterizado como depressão pós-férias.

De acordo com Ana Maria Rossi, esses sintomas podem ser tanto físicos quanto emocionais. Os trabalhadores são capazes de sentir dores musculares e sintomas emocionais de depressão que podem afetar completamente o comportamento do profissional.

Confira abaixo algumas dicas para amenizar os efeitos da "depressão pós-férias”, caso você esteja passando por isso:


– Acerte seu relógio biológico:

Mais ou menos uns três dias antes de retornar ao trabalho acompanhe o horário de trabalho como se já estivesse trabalhando. Adapte-se aos horários de dormir, acordar, almoçar, etc.

– Encurte o período de férias:

Se você estiver viajando, retorne no mínimo 48 horas antes de voltar a trabalhar. Alguns profissionais, por exemplo, retornam em cima da hora e começam a trabalhar sobrecarregados da viagem ou das férias e depois sentem dificuldade de se adaptar.

– Estabeleça uma "válvula de escape":

Para compensar as atividades sobrecarregadas do trabalho faça atividades prazerosas. Nessa hora vale tudo, desde um hobby a uma ação voluntária, diz Ana.

– Expresse-se:

Alguns profissionais têm medo de expor suas dificuldades ao chefe. Se você se propor a comunicar de forma transparente sobre sua situação, conseguirá lidar melhor com seus problemas no trabalho. Se mesmo assim estiver difícil se expressar, utilize outros meios, como, por exemplo, a caixa de sugestões e críticas no trabalho. Isso pode ajudar.

– Fique atento às oportunidades:

De acordo com Ana, se você não estiver preparado para tais evidências ou achar que a empresa não compreenderá o seu lado, deve procurar então outras oportunidades. Para isso, esteja mais atendo às oportunidades de emprego ao seu redor. Se você confia nas suas próprias competências, então deve abrir mão.

Por Daniela Almeida da Silva



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *