Dicas para ter sucesso em reuniões realizadas em línguas estrangeiras





O conhecimento sobre línguas estrangeiras tem sido de extrema importância em várias situações, seja para uma entrevista de emprego ou para ingressar em uma universidade ou faculdade.

Mesmo algumas pessoas tendo um nível de conhecimento superior em outras línguas, podem se perder em uma conversa devido ao nervosismo e ansiedade, e isso em uma reunião pode vir a atrapalhar.




Algumas dicas podem ajudar a inverter essa situação e a reunião ser um sucesso:

1- Pratique as línguas que já têm uma base:


Pode ser em uma conversa com os amigos ou então em frente ao espelho, mas pratique, forme frases, leia textos. Também vale usar música e filmes como aliados para ampliar o vocabulário.

2- Tenha certeza do que está falando:

Não adianta querer empregar uma palavra que não se tem muito conhecimento em uma frase, você pode colocar todo o contexto a perder se não souber realmente usar as palavras.

3- Não fique enrolando, seja breve e claro:

Muitas vezes no nervosismo, acabamos querendo acrescentar coisas desnecessárias e nos perdendo do foco. Por isso, uma frase simples e direta pode ser muito melhor que uma declaração.

4- Visão:

Sempre que possível, tente fazer uso de recursos visuais, pois a comunicação não se dá apenas através de palavras, mas de imagens também. Também facilitaria caso tenha a necessidade de fazer comparações, entre outros.

5- Tecnologia:

A tecnologia pode ser uma grande aliada, pois é um meio bem comum de se driblar o nervosismo e ansiedade.  A Conference Call pode ser uma ótima opção na hora de utilizar a tecnologia.

6- Companheiro de idioma:

Caso se sinta inseguro, é uma boa ideia levar com você alguém que tenha o mesmo nível ou até mesmo esteja em um nível superior do idioma requisitado. Assim, além de uma maior confiança, um completa o outro evitando erros durante a conversa.

7- Tranquilidade:

Esteja tranquilo, relaxado. Lembre-se de que se você praticou, você pode levar esta reunião super bem, confie em si mesmo.

Por Ingrid Oliveira



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *