O que você pretende adquirir com o seu trabalho?





Todos nós já sabemos que trabalhando é que se conquistam as coisas que queremos, o futuro, os sonhos, etc. Mesmo assim, existem pessoas que trabalham apenas por amor à profissão, por prazer em trabalhar e se sentir útil. E você, se encaixa em quais perfis de trabalhadores? O que você pretende com o seu trabalho? Se você ainda não sabe a verdadeira resposta, confira algumas dicas a seguir:

– Experiência:


A maioria das pessoas pensa apenas em adquirir experiência com o trabalho, para assim, conseguir algo melhor, uma nova oportunidade, consequentemente, pois o que as empresas mais querem hoje em dia é alguém com uma vasta experiência profissional ou pelo menos com uma carreira sólida no mercado.

– Conquistas:

As conquistas desejadas pelos trabalhadores em geral são diversas, tanto que a própria palavra já demanda diversos significados. Você pode querer conquistar apenas um bom salário, conquistar uma boa carreira, bens materiais, cargos, etc. Enfim, essa palavra sugere várias hipóteses.


– Boa indicação:

Muitas pessoas não pensam nisso, mas quando estão trabalhando, estão inconscientemente buscando aprovação, para depois serem alvos de uma boa indicação, caso isso seja possível posteriormente. Não há problema algum em fazer tudo certinho para conseguir isso, apenas temos que passar pela análise de pessoas que estão em um posto maior para obtermos uma boa aprovação por parte deles, visto que são eles que poderão nos indicar para uma outra pessoa ou empresa, caso isso seja necessário.

– Aprendizado:

Aprendizado é diferente de experiência. Primeiro adquirimos o aprendizado, para depois, se a pessoa persistir, vir a experiência. A experiência nada mais é que o fato de você colocar o que aprendeu várias vezes, sem precisar ser treinado para isso sempre. O aprendizado te proporciona isso e a experiência te dá uma autonomia maior quanto às suas habilidades. Primeiro as pessoas buscam aprender, para depois ganhar experiência por conta própria. Essa é a vantagem.

Por Daniela Almeida da Silva



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *