Taxa de emprego na indústria registrou queda pelo 3º ano consecutivo





Foi divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, que houve um crescimento na taxa de emprego na indústria no período entre novembro e dezembro de 2014. De um mês para o outro houve um avanço de 0,4% nessa taxa.

Considera-se que este foi um resultado bastante positivo, visto que as últimas oito taxas registraram quedas, mas este valor não é suficiente para reverter a situação que vem se consolidando como tendência.


O resultado final foi assustador, registrou-se uma queda de 3,2% no ano de 2014, conseguindo pela terceira vez durante três anos consecutivos marcar uma queda na taxa de empregos na indústria. Considerando os resultados obtidos nos últimos três anos, a queda de 2014 foi a mais importante registrando uma baixa de 3,2%. Em 2013 a taxa de emprego na indústria teve uma diminuição de 1,1% e em 2012 foi conseguida uma taxa de 1,2%.

Segundo os dados recolhidos e apurados pelo IBGE, foram detectadas reduções no número de trabalhadores ativos nos 14 locais onde a pesquisa foi desenvolvida. O destaque em reduções no contingente de colaboradores ficou para São Paulo, onde a queda foi de 4,7%. Em comparação ao ano passado, São Paulo diminuiu em 4,3% o contingente de trabalhadores, esse resultado é fruto do montante de demissões ocorridas, já que o ritmo de demissões foi bem acima da média nacional.

Outros estados que registraram negativas nas taxas de emprego na indústria foram Rio Grande do Sul e Paraná (ambos com -4,2%), Minas Gerais e Rio de Janeiro (ambos com queda de 2,8%), Região Nordeste (-2,1%), Regiões Centro-Oeste e Norte (-1,7%).


O registro fornecido pelo IBGE informa que dos 18 ramos de atividades analisados, 17 tiveram quedas. Alguns dos setores com pior desempenho foram produtos de metal, aparelhos eletrônicos e comunicação, meios de transporte e máquinas e equipamentos.

Outro indicador que conseguiu registrar queda pela terceira vez seguida foi o de horas pagas na indústria, de 2013 a 2014 houve uma queda de 3,9% nesse índice. O pior resultado alcançado desses três anos foi obtido em 2009 quando era de -5,9% comparado com o resultado de 2008.

Mais informações sobre a atual condição econômica da indústria estão publicadas no endereço eletrônico do IBGE www.ibge.gov.br.

Por Melina Menezes



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *