Como falar da antiga empresa em uma entrevista





Independente do motivo da sua saída da empresa antiga, é preciso saber o que falar em uma entrevista futura sobre ela.

Não importa qual o motivo de sua saída da antiga empresa, em uma entrevista de emprego, sempre surgirá essa pergunta que muitas vezes pode ser constrangedora. Nesse momento, muitas perguntas vêm à nossa mente “Será que eu posso falar mal?”, “Até onde posso ser sincero?”, “Será que é uma pegadinha”, entre outras. Pensamentos assim são comuns e as dúvidas normalmente são as mesmas, afinal, como devo me comportar ao falar da minha antiga empresa em uma entrevista de emprego?

A primeira dica é não tentar fugir dessa resposta ou tentar ser demagogo demais, o recrutador, com certeza, já passou por momentos em que outras pessoas fizeram isso, e elas provavelmente não conseguiram os cargos desejados. O ideal é ser o mais sincero, na medida do possível.


Se você saiu da empresa por brigas e desavenças pessoais, ache uma forma de minimizar isso e suavizar a situação, sem transparecer qualquer sentimento em relação à empresa ou às pessoas que lá trabalham.

O mesmo ocorre se você foi demitido por algum erro seu, seja alguma irresponsabilidade, um erro técnico ou até mesmo injustamente, tente não transparecer qualquer tipo de sentimento negativo, isso faz parecer que você não sabe separar sua vida profissional da pessoal e suas chances naquela entrevista acabam se reduzindo.

Também é recomendável não tentar acabar rápido ou pular essa etapa dando uma frase muito curta que não faz muito sentido, assim como na primeira dica, falar de menos também pode não ser muito bom, pois pode dar a impressão que você não quer ou se sente incomodado ao falar sobre isso.


Tente responder de forma clara e natural, lembre-se que essa não será a pergunta definitiva da entrevista e nem sua parte mais importante, é apenas uma etapa essencial, que todos nós temos que passar. Procure relaxar e mesmo que tenha desavenças no passado, pense que seu próximo emprego pode ser uma oportunidade de crescer pessoal e profissionalmente. 

Por Tom Vitor de Freitas



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *