No 1º semestre deste ano foram autorizados a trabalhar no Brasil 18.213 estrangeiros e os estados que mais receberam imigrantes foram RJ, SP e CE.

No 1º semestre deste ano foram autorizados a trabalhar no Brasil 18.213 estrangeiros e os estados que mais receberam imigrantes foram RJ, SP e CE. As áreas mais procuradas foram artística, científica, profissões de nível médio, diretoria, gerência e bens e serviços.

Na última segunda-feira (dia 17), foram publicadas informações do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), acerca das autorizações para estrangeiros trabalharem no Brasil. Segundo os dados divulgados, no primeiro semestre deste ano, 18.213 estrangeiros receberam a autorização e os estados que mais receberam imigrantes foram os do Rio de Janeiro, São Paulo e Ceará que receberam 14.771 trabalhadores estrangeiros. O relatório engloba tanto as autorizações de trabalho temporárias quanto as permanentes.

Quando comparado com o primeiro semestre do ano de 2014, o número de trabalhadores sofreu redução de 2.787 autorizações, o que representa uma queda de 13%. As reduções registradas foram principalmente nos setores marítimo, nos cruzeiros e na área de petróleo e gás.

O MTE afirma que a idade dos estrangeiros que vieram ao Brasil este ano para trabalhar é na faixa dos 20 aos 49 anos. Destes, 10,4 mil tem o Ensino Superior completo e 6,4 mil possuem o Ensino Médio completo e somente 921 possuem Mestrado. As mulheres são responsáveis por 2.139 autorizações de trabalho enquanto os homens somam 16.074 autorizações.

Dentre as permissões temporárias, registrou-se um número de 17.026 autorizações e somente 1.187 foram autorizações para emprego permanente no país. O período em que mais solicitações de autorização foram registradas foi de fevereiro a maio.

As profissões que mais pediram autorização foram as das áreas artística e científica. Foram registradas 8.068 autorizações para essas duas áreas. Em seguida, as profissões de nível médio, com 5.298 pedidos, diretoria e gerência com 1.741 pedidos de autorização e trabalhadores que produzem bens e serviços que foram responsáveis por 1.215 pedidos, segundo o Ministério do Trabalho.

Ainda segundo o relatório, os profissionais de artes em sua maioria vieram dos Estados Unidos, e trabalham em circos ou similares, já os profissionais de assistência técnica, petróleo e tecnologia vêm de países como Coreia do Sul, Filipinas e Reino Unido. Somente esses quatro países juntos já somam 6.561 autorizações de trabalho.

Enquanto isso, os pedidos de países que compõem o Mercosul, foram baixos: apenas 511 autorizações. Os líderes de pedidos foram Colômbia, Argentina, Peru e Venezuela.

Por Patrícia Generoso


Pesquisa revelou que 69% dos brasileiros não quiseram mudar de emprego no 1º semestre deste ano.

Em tempos de crise, deixar o emprego em busca de uma nova oportunidade não é, definitivamente, uma boa opção e os trabalhadores brasileiros já descobriram isso, conforme indicou uma pesquisa onde 69% dos brasileiros preferiram não trocar de emprego durante o 1º semestre deste ano.

Levando em consideram os trabalhadores mundiais, a pesquisa apontou que em 34 países, cerca de 24% dos trabalhadores se arriscaram a deixar o antigo emprego em busca de uma nova oportunidade de trabalho.
A pesquisa foi realizada por uma empresa multinacional, a Randstad, no intuito de apontar o "Índice de Mobilidade no Mercado de Trabalho" em vários países. As perguntas foram feitas para saber se nos últimos 6 meses o profissional mudou de emprego, independente de ser ou não para executar a mesma função.
A pesquisa perguntou aos trabalhadores brasileiros se, nos últimos 6 meses, eles mudaram de emprego ou pelo menos de função e 69% dos entrevistados responderão "Não". Destes entrevistados, 9% revelaram que tiveram coragem para se arriscar em busca de uma nova oportunidade e 7% disseram que a única alteração foi em relação ao posto de trabalho ocupado.

Mas o Brasil não é o único país onde os profissionais estão se sentindo inseguros para trocar de emprego, confira a relação dos outros países que ficaram na frente do Brasil, em número de profissionais que não trocaram de emprego nos últimos 6 meses:

– Luxemburgo: 93%;

– Hungria: 87%;

– Portugal: 86%;

– Argentina: 85%.

Outra questão abordada pela pesquisa foi a respeito dos profissionais que estariam em busca de um novo emprego e aqui no Brasil, 37% dos entrevistados responderam "Não", pois não estariam pensando em trocar de emprego no momento. Mas 30% destes brasileiros entrevistados disseram que no momento não estão buscando um novo emprego, porém, estariam abertos a novas propostas de trabalho e não recusariam uma boa oportunidade.

E, por fim, a pesquisa apontou novos dados em relação à posição dos trabalhadores ao mercado de trabalho:

  • 12% destes trabalhadores já tentaram alguma forma de conseguir mudar de empresa;
  • 15% estão se preparando para trocar a empresa onde trabalham por uma que ofereça melhores condições;
  • 6% atualmente estão se esforçando ao máximo para irem para uma outra companhia.

Por Russel


Seleção formará um cadastro de reserva para mais de 60 municípios do Brasil. Inscrições devem ser feitas até o dia 9 de agosto de 2015.

Foi publicado um edital para formar cadastro de reserva em vagas de estágio na Caixa Econômica Federal. As chances são para estudantes de nível superior em várias áreas de ensino. São mais de 60 municípios do Brasil que receberão as vagas.

O Programa de Estágio conta com chances para estudantes de arquitetura e urbanismo, engenharia civil, engenharia elétrica, engenharia ambiental, engenharia agronômica, engenharia de telecomunicações, engenharia agrícola e engenharia mecânica.

Os requisitos para os candidatos interessados são: estar matriculados e com boa frequência a partir do quinto semestre (manhã ou noite) e ter idade mínima de 18 anos. A jornada de estágio dos selecionados será de 25 horas pela semana, sendo que será pago uma bolsa auxílio no valor de R$ 1 mil, além de benefícios com auxílio transporte de R$ 130 e seguro de vida.

Haverá 10% das vagas desta seleção da Caixa Econômica Federal para pessoas com necessidades especiais.  

A seleção terá uma prova online, sendo que a mesma estará disponível para a realização até o dia 09 de agosto deste ano de 2015. Serão 30 perguntas de português, informática, noções gerais e noções específicas. As perguntas terão dois minutos para serem respondidas. Caso aconteça um empate entre os candidatos, será dada preferência para aquele com a maior nota na prova de noções específicas.

A fase final da seleção contará com uma entrevista individual com um profissional da empresa, para observar questões como potencial, interesse, motivação, iniciativa, entre outros. A organização da seleção é feita pelo Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) e pela Gerência de Relacionamento com o Empregado (Gerem).

Algumas das cidades que contarão com o cadastro reserva destas vagas são: São Paulo, Bahia, Pernambuco, Paraná, Minas Gerais, Santa Catarina, Distrito Federal, entre outros.

Para fazer a sua inscrição o candidato deverá acessar o site do CIEE (ciee.org.br) até o dia 09 de agosto deste ano de 2015. O programa de estágio da Caixa Econômica Federal contará com uma validade de seis meses, mas poderá ser prorrogado pelo mesmo período.


Apple, Facebook, Twitter, Google e Amazon estão com processos seletivos abertos para contratar profissionais no Brasil.

Você já parou para pensar como seria trabalhar nas empresas que produzem uma grande parte dos produtos tecnológicos que você usa? Se você tem essa vontade então essa pode ser sua chance. Confira:

Diversas empresas do setor de tecnologia e informática estão oferecendo vagas de emprego para esse segundo semestre de 2015. Dentre elas estão a Apple, Facebook, Instagram, Microsoft, Google e Amazon. Veja os detalhes sobre cada uma delas:

– Amazon:

A empresa multinacional do setor de comércio eletrônico está disponibilizando um total de 36 vagas para o nosso país. Todos os postos de trabalho são para a cidade de São Paulo. De acordo com as informações divulgadas entre as áreas de atuação estão técnico de data center e relações públicas internacionais. Para conferir sobre essas oportunidades e diversas outras oferecidas pela empresa acesse o site www.amazon.jobs/results?locationIds%5b%5d=8259.

– Google:

A gigante da internet tem 13 vagas em aberto. Nesse caso são 3 chances para Belo Horizonte e 10 para São Paulo. Os setores que deverão receber esses profissionais são os mais variados possíveis. Entre eles especialista de suporte, gerente de conta e engenheiro de software. Candidaturas podem ser realizadas pelo site www.google.com/about/careers/search#t=sq&q=j&li=10&jl=-19.9166813%253A-43.9344931%253ABelo+Horizonte+-+MG%252C+Brasil%253Anull%253Aundefined%253A11.409034245493675%253ALOCALITY&jl=-23.5505199%253A-46.63330939999997%253AS%25C3%25A3o+Paulo+-+SP%252C+Brasil%253Anull%253Aundefined%253A33.857540.

– Apple:

Aqui são 44 oportunidades de emprego. A maior parte delas fica para Jundiaí e São Paulo. Porém, também há vagas no Rio de Janeiro, Curitiba, São José dos Campos/SP, Porto Alegre, Brasília, Salvador, Belo Horizonte e Recife. Candidaturas podem ser realizadas no site jobs.apple.com/br/search?#&t=0&sb=req_open_dt&so=1&lo=0*BRA&pN=0.

– Facebook/Instagram:

Como todo mundo já se sabe o Instagram agora é do Facebook. São disponibilizadas 28 vagas. Dentre as áreas com vagas estão as de contas globais, finanças e comunicação corporativa. Para saber mais  acesse o site www.facebook.com/careers/locations/saopaulo.

– Twitter:

Por aqui, o escritório do Twitter também está contratando. São vagas para as áreas de vendas, administração e expansão. São quatro oportunidades no total. Acesse o site about.twitter.com/careers/locations/sao-paulo e veja mais sobre o assunto.

Vale lembrar que essas vagas são muito concorridas. Então se você se interessa se cadastre o mais rápido possível.

Boa Sorte!

Por Denisson Soares


Taxa de desemprego registrada foi de 6,4% em abril de 2015, sendo o quarto mês consecutivo de alta.

Uma notícia bastante desagradável é que pelo quarto mês consecutivo a taxa de desemprego no Brasil registrou aumento. Dessa forma, a mesma alcançou 6,4% em abril de 2015, sendo este o maior índice para este mês desde o ano de 2011. Tal resultado foi apresentado segundo dados da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. A taxa também apresentou aumento quando comparada com o mesmo período em 2014 quando registrou 4,9%.

É importante ressaltar que esta pesquisa é feita nas regiões metropolitanas das seguintes cidades: Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre.

Com tal resultado, a população desocupada passa a ser de 1,6 milhão de pessoas no mês de abril, número bem perto do registrado em março. O problema é quando a comparação é feita com o mês de abril de 2014, pois abril de 2015 apresenta um aumento na taxa de desocupados de 32,7%. Além disso, o IBGE também destacou que este é nada menos que o maior crescimento anual da população desocupada desde março de 2002.

Já quando o assunto são as análises regionais, ficou evidente que o desemprego não apresentou variações em relação a março, porém, quando a comparação é feita com o mesmo período em 2014 percebe-se uma boa variação.

Em Salvador, por exemplo, a taxa passou de 9,1% pata 11,3%. A cidade de Belo Horizonte e região metropolitana registrou aumento de 3,6% para 5,5%. Já Porto Alegre também registrou um aumento na taxa de desemprego, haja vista os atuais 5% contra a taxa anterior de 3,2%. Rio de Janeiro, São Paulo e Recife também seguiram o ritmo de aumento na taxa de desemprego.

Em contrapartida com o aumento na taxa de desemprego está o rendimento médio real que sofreu um recuo. Segundo os dados do IBGE o rendimento médio real dos trabalhadores registrou R$ 2.138,50, um recuo de 0,5% quando comparado a março de 2015 e nada menos 2,9% quando a comparação é feita com o mesmo período em 2014. A atividade que registrou o maior recuo no rendimento foi a de construção, haja vista a comparação mensal ter registrado uma queda de 4% e a anual 7,5%.

Por Bruno Henrique





CONTINUE NAVEGANDO: