Usando alguns artifícios é possível conquistar seu chefe e fazê-lo aceitar suas sugestões e ideias.

Mostrar uma nova ideia ao seu chefe não precisa ser mais um problema! Algumas dicas preciosas podem fazer com que sua ideia seja analisada e aceita pelo seu chefe.

Tenha confiança na sua proposta. Deixe bem claro seus objetivos, suas motivações, e acima de tudo, esteja embasado em seu projeto. Uma ideia que nasce, mas não é desenvolvida corretamente, não provocará uma boa impressão em seus superiores. Desenvolva a sua ideia, e os possíveis desdobramentos que ela terá se aplicada na empresa, além de contar com um plano de emergência para problemas que possam surgir. Seu chefe não quer perder tempo com os problemas gerados por uma proposta mal embasada. Dar a ele todos os cenários possíveis caso a sua proposta seja aplicada é uma demonstração de profissionalismo e seriedade.

Apresente seu projeto com entusiasmo, para passar uma boa impressão a quem tiver ouvindo, seja claro e objetivo em sua apresentação, e mantenha a calma. É importante dominar o momento da melhor maneira possível. Passar segurança pode ser um diferencial para sua proposta ser aceita.

Ao apresentar seu projeto, lance mão de recursos didáticos, como o uso de computadores para a projeção de imagens relacionadas com sua ideia, relatórios e listas para serem distribuídas aos ouvintes, com sua proposta de forma mais explicada.  Quanto mais formal e profissional sua proposta parecer, melhor a impressão transmitida.

É muito importante que você esteja aberto a receber críticas e sugestões, e também para modificações em sua proposta inicial. Deixe que os ouvintes perguntem e palpitem no seu trabalho livremente. E, caso sua proposta seja rejeitada, não fique frustrado! Tenha um plano B em mãos. Um funcionário criativo pode causar excelentes impressões.

Calma e confiança podem ser os diferenciais para sua proposta ser aceita. Esses dois fatores fazem com que a imagem do apresentador seja bem recebida, por isso tente passar a melhor imagem possível ao apresentar  o seu projeto.

Por Patrícia Generoso


Alguns chefes não sabem como dar um bom feedback, mas quando essa ferramenta é usada da maneira correta, ajuda o funcionário a se desenvolver dentro da empresa e o estimula positivamente.

Muitas pessoas rejeitam ou sentem medo na hora de conversar com seu líder sobre trabalhos realizados. A rejeição muitas vezes se dá por conta dos funcionários considerarem o momento do feedback, a hora de “tomar bronca”. Isso está longe de ser real, na verdade o feedback, quando usado corretamente, não só estimula o funcionário como também o ajuda a se desenvolver dentro da empresa. Mas por que será que ele é tão confundido com a famosa bronca?

Muitos líderes nãos sabem usar o feedback ou usam esse termo em situações errôneas, é o caso dos chefes que só falam sobre isso quando a equipe ou um funcionário específico cometeu algum erro. No geral, a escolha do ambiente em que é dada a conversa, a hora do dia e com quantos funcionários de cada vez o líder falar, são fatores que influenciam diretamente se o feedback está sendo feito de forma correta, isso porque se a conversa acontecer em algum momento inoportuno, o chefe não vai conseguir conduzir um feedback construtivo.

Outro erro que é constantemente cometido por líderes é focar nas características da pessoa e não em seu comportamento. É claro que algumas pessoas possuem certos traços de personalidade que podem atrapalhar uma equipe, mas em geral, o feedback (se for negativo) deve ser sobre o comportamento do funcionário em determinado projeto ou período.

Para a construção de uma carreira mais sólida, você precisa passar por alguns feedbacks ao longo de sua vida. Não o encare como se fosse um monstro, muitas vezes seu chefe pode ressaltar seus pontos fortes e elogiar atitudes que você tem tomado, pois isso motiva e dá energia para os funcionários se sentirem bem no ambiente de trabalho. Em geral, o feedback é parte essencial da vida no trabalho e se deve aproveitar isso da melhor maneira possível, ressaltar as partes positivas e negativas de uma equipe para que todos estejam prontos para trabalhar juntos.

Por Tom Vitor de Freitas





CONTINUE NAVEGANDO: