Como geralmente passamos mais tempo no trabalho do que em casa, é inevitável não fazer amizades e de repente deixar escapar certos assuntos que envolvem a nossa vida particular. Na hora do almoço, na pausa para o cafezinho ou aquele simples encontro no banheiro podem fazer com que muitas vezes sejamos espontâneos e sem nos darmos conta, soltar algum detalhe muito pessoal que já nos ocorreu ou pensamos.

Claro que devemos ser sociáveis e correr de inimizades no campo profissional, mas alguns assuntos podem realmente atrapalhar a imagem do funcionário perante aos colegas e, o que é pior, perante ao próprio chefe. Ás vezes se torna um tanto difícil essa divisão por questões de afinidade maior com certas pessoas (principalmente se trabalharem no mesmo departamento), mas é preciso muito cuidado e cautela.

Há muito em questão: além do famoso dano moral, promoções, cargos, alterações de salário e até mesmo a confiança estão em jogo e não devem ser ignorados. Antes de se envolver em um assunto ou inicia-lo, mesmo que esporadicamente, é preciso pensar no que será acrescentado de bom.

Por exemplo: algo que aconteceu em sua vida foi um tanto contrangedor, porém engraçado? No calor da empolgação fará com que todos (ou apenas uma pessoa) riam descontraidamente, mas o cérebro dos ouvintes tem a mesma incrível capacidade que o seu tem de armazenar aquele detalhe que, sem dúvida, o fará lembrar novamente. Mesmo que isso não seja comentado com outras pessoas, a sua imagem já pode ter mudado (mesmo que mínimamente),  pois saberão algo "estranho ou irônico" e não haverá como esquecer em um posterior momento.

Cuidado também ao atender o celular, por exemplo, é uma ótima forma de não se empolgar tanto com a outra pessoa do outro lado da linha e que certamente faz parte de um ciclo mais íntimo. Olhe sempre ao redor ou deixe certos assuntos para quando estiver indo embora ou para quando chegar na sua residência.

Por Luciana Ávila 





CONTINUE NAVEGANDO: