Algumas características são mais analisadas e requeridas em uma entrevista de emprego. Os candidatos devem estar preparados para apresenta-las ao recrutador no momento da entrevista.

A concorrência vem crescendo cada vez mais quando se trata de uma boa oportunidade de emprego, por isso os candidatos devem ficar atentos a todos os detalhes, para conseguirem se destacar na hora da entrevista e, para isso, nada melhor do que conhecer as principais características que são mais valorizadas pelos recrutadores na hora de contratarem um novo funcionário.

Iniciativaé sempre uma das características mais citadas pelos recrutadores quando vão comentar sobre o que eles procuram nos candidatos. Os recrutadores observam muito se os candidatos são pessoas sempre prontas para servir, por exemplo, o simples fato do recrutador deixar a caneta cair no chão já serve para avaliar se o candidato imediatamente se prontifica a apanhar a caneta ou se ele fica esperando que o próprio recrutador tome esta atitude.

Uma boa conversa deixa claro para o recrutador se o candidato é uma pessoa que sabe antecipar os fatos, se age de forma rápida, então é bom que você comece a observar em si próprio se a "Iniciativa" é uma de suas características e se não for, melhor trabalhar esta questão com mais cuidado.

Trabalhar em equipeé outra característica indispensável nos dias atuais. Todo recrutador faz questão de avaliar o candidato e descobrir se ele sabe de fato, trabalhar em equipe, se tem a característica de querer ajudar, se prontificar para ajudar o colega de trabalho, se compartilha suas ideias ou se é daquelas pessoas que está sempre querendo aparecer sozinho, querendo ser o dono da verdade sempre e trazendo para si todos os méritos.

O trabalho em equipe nunca foi tão valorizado como agora, por isso é bom que você tenha esta característica, porque ela é determinante na conquista de uma vaga de emprego.

A lista de características mais valorizadas pelos recrutadores não para por aqui, confira outras:

– Ética;

– Visão estratégica;

– Inovação;

– Empenho;

– Foco nos bons resultados;

– Empatia;

– Multifuncional;

– Experiência;

– Segurança;

– Objetividade.

Ainda, os recrutadores buscam candidatos que realmente estejam dispostos a "vestir a camisa da empresa", estando sempre alinhados aos valores desta empresa e trabalhando sempre para que o crescimento seja para todos.

Por Russel


É preciso saber como se comportar e o que falar em uma entrevista de 1º emprego.

A entrevista de emprego é um dos momentos mais tensos para candidatos de todas as idades e o nervosismo cresce ainda mais quando se trata do primeiro emprego.

Estar à altura dos demais candidatos, ser claro em suas afirmações, passar uma boa impressão ao entrevistador. Todas essas preocupações passam pela cabeça de quem está diante de uma entrevista marcada para o primeiro emprego. Algumas dicas são valiosas nessa hora.

Tenha em mente que a vaga não é única. Por mais que você queira aquela vaga, ela não é única. Outras aparecerão e você terá a chance de demonstrar igualmente a sua capacidade. Pensando dessa forma, boa parte do nervosismo já será eliminada.

Outro ponto importante é ter cuidado ao falar de suas qualidades pessoais: já que experiência não é seu forte, nada mais comum do que tentar levar o foco da entrevista para suas qualidades pessoais, mas não exagere! Se seu currículo foi selecionado, com certeza sua formação e cursos já foram analisados pela equipe de RH. Mantenha-se focado em demonstrar outras características, como sua vivência em grupo, por exemplo. Só faça uma descrição de sua formação acadêmica se o entrevistador requisitar.

Não minta! Na ânsia pela conquista da primeira vaga de emprego, às vezes podemos faltar com a verdade em alguns itens, ou mesmo omitir outros fatores importantes para o empregador. Tenha em mente que mentir sobre uma capacidade, por exemplo, poderá acarretar problemas no futuro, caso venha realmente a ser contratado. A sinceridade é um dos fatores mais importantes para os empregadores. De nada adianta “vender seu peixe” e não ter a capacidade para demonstrar as qualidades que o empregador espera de você.

Sempre deixe claro sua vontade de aprender. Sua posição como um novo funcionário de uma empresa não é diferente da maioria dos novos empregados: novo ambiente de trabalho, novos colegas, nova rotina. Deixe claro que tem o desejo de aprender e contribuir com a empresa.

E, acima de tudo, seja confiante! Uma postura firme na hora da entrevista pode fazer toda a diferença aos olhos do seu entrevistador, e lhe render sua entrada no mercado de trabalho.

Por Patrícia Generoso


Independente do motivo da sua saída da empresa antiga, é preciso saber o que falar em uma entrevista futura sobre ela.

Não importa qual o motivo de sua saída da antiga empresa, em uma entrevista de emprego, sempre surgirá essa pergunta que muitas vezes pode ser constrangedora. Nesse momento, muitas perguntas vêm à nossa mente “Será que eu posso falar mal?”, “Até onde posso ser sincero?”, “Será que é uma pegadinha”, entre outras. Pensamentos assim são comuns e as dúvidas normalmente são as mesmas, afinal, como devo me comportar ao falar da minha antiga empresa em uma entrevista de emprego?

A primeira dica é não tentar fugir dessa resposta ou tentar ser demagogo demais, o recrutador, com certeza, já passou por momentos em que outras pessoas fizeram isso, e elas provavelmente não conseguiram os cargos desejados. O ideal é ser o mais sincero, na medida do possível.

Se você saiu da empresa por brigas e desavenças pessoais, ache uma forma de minimizar isso e suavizar a situação, sem transparecer qualquer sentimento em relação à empresa ou às pessoas que lá trabalham.

O mesmo ocorre se você foi demitido por algum erro seu, seja alguma irresponsabilidade, um erro técnico ou até mesmo injustamente, tente não transparecer qualquer tipo de sentimento negativo, isso faz parecer que você não sabe separar sua vida profissional da pessoal e suas chances naquela entrevista acabam se reduzindo.

Também é recomendável não tentar acabar rápido ou pular essa etapa dando uma frase muito curta que não faz muito sentido, assim como na primeira dica, falar de menos também pode não ser muito bom, pois pode dar a impressão que você não quer ou se sente incomodado ao falar sobre isso.

Tente responder de forma clara e natural, lembre-se que essa não será a pergunta definitiva da entrevista e nem sua parte mais importante, é apenas uma etapa essencial, que todos nós temos que passar. Procure relaxar e mesmo que tenha desavenças no passado, pense que seu próximo emprego pode ser uma oportunidade de crescer pessoal e profissionalmente. 

Por Tom Vitor de Freitas


Em alguns processos seletivos, após a entrevista vem i ponto crucial de negociar o salário. Nesse momento, é importante que o profissional saiba negociar, estando atualizado e capaz de mostrar suas realizações.

Um dos momentos mais sonhados por quem procura emprego é ser selecionado em uma entrevista. No entanto, após esta etapa, chega o momento crucial de negociar o salário. E, esta é uma fase que requer um pouco de “jogo de cintura”. Para isso, abaixo, vamos dar algumas dicas importantes de como se sair bem.

– Prepare-se: Estude antes sobre a empresa, afinal, na hora da negociação, é relevante você mostrar que tem interesse e sabe como ela funciona e qual sua organização. Esse fato poderá fazer com que o recrutador te contrate pelo preço exigido.

– Reciclar: Um ponto chave na hora de conversar sobre o salário é sempre estar atualizado, seja fazendo um curso, um MBA ou uma pós-graduação. É necessário, hoje, que cada vez mais os profissionais se atualizem e, quanto maior o conhecimento, maior o salário.

– Processos Seletivos: Procure não focar todas suas energias em uma única empresa. É interessante participar de vários processos de seleção ao mesmo tempo, afinal, você terá uma base e um argumento quando precisar negociar seu salário.

– Conhecer o valor de mercado: Antes de começar a negociar o salário, busque se informar sobre os valores que o mercado está pagando para um profissional de sua área. Você precisa saber quanto os outros recebem, já que, muitas vezes, as empresas acabam oferecendo uma remuneração bem abaixo do que o piso da categoria, por exemplo.

– Valorização: No momento de negociar seu salário com a futura empresa, mostre-se centrado em seus planos. É importante fazer um planejamento e mostrar para os avaliadores do que você é capaz e que merece um salário bom.

– Destacar suas realizações: Converse com o contratante sobre tudo aquilo que você já fez em sua carreira, os desafios enfrentados e o quanto seu trabalho será importante para a empresa. Desse modo, você poderá negociar um bom salário, afinal, o contratante verá que você é uma peça fundamental e que valerá a pena pagar o que você quer.

Por Andréa Corneli Ortis


Alguns erros que os candidatos cometem na entrevista são cruciais para a reprovação do mesmo no processo seletivo.

Muitos dos candidatos que estão à procura de uma vaga no mercado de trabalho conseguem ser aprovados em todas as fases da seleção para o cargo, porém, quando chega a entrevista acabam sendo reprovados. O problema maior é que uma gama muito grande desses que foram rejeitados afirmam categoricamente que fizeram uma boa entrevista. Mas será mesmo?

Atualmente sempre ouvimos e lemos a respeito da competitividade no mercado de trabalho. Com isso a coisa mais lógica a se pensar é que quando cresce o número de participantes e quantidade dos mesmos o nível de qualificação também vai ser alto. E nesse contexto os detalhes podem ser os principais diferenciais para o recrutador decidir se contrata ou não determinada pessoa.

Veja abaixo alguns dos erros graves cometidos pelos candidatos na hora da entrevista de emprego:

– Apresentação pessoal:

Em poucas palavras basta dizer: “Cuidado com a higiene pessoal.” É algo básico, mas muita gente deixa isso para lá. Chegar para uma entrevista com cabelos e barba mal feitos, unhas sujas e por aí vai causa logo de cara no recrutador uma péssima ideia do candidato. Veja por esse lado: Se a pessoa não cuida de si mesmo como é que ela vai cuidar do seu cargo e da empresa?

– Verdade e somente a verdade:

Tem profissional que sente vergonha de não ter uma formação nisso ou naquilo e acaba mentindo na entrevista. Ele mesmo corta completamente suas chances. A vergonha maior não é não contar com qualificação e sim ficar com o crachá de mentiroso já na entrevista. É bom recordar que recrutadores costumam ser muito bem treinados para analisar o que o candidato está dizendo e até mesmo as reações comportamentais. A maioria identifica uma mentira apenas pelo gesto do candidato.

– Cuidado com a postura:

Dentre os pontos fundamentais em uma entrevista o profissional precisa passar confiança, segurança e capacidade para o recrutador. O sujeito chega com a cabeça baixa, fala tão baixo que mais parece um sussurro, fica balançando as pernas, piscando demais, encolhido (a lista é grande) e etc. não vai conseguir passar nenhum dos três aspectos citados acima para ninguém.

– Pense e depois fale:

É uma entrevista de emprego e não uma conversa com um amigo! Então é melhor logo “de cara” esquecer os vícios de linguagem e as gírias. Falar com calma, com clareza em síntese, apenas o necessário vai evitar muitos “escorregões” e, consequentemente , a reprovação na entrevista.

Por fim, uma observação interessante deve ser considerada: Quando alguém participa de uma entrevista geralmente é definido um prazo para o retorno. O candidato precisa se segurar e respeitar esse prazo. Controlar a ansiedade e fazer questionamentos sobre os resultados somente após o término do período estipulado pela empresa contratante.

Por Denisson Soares


Não existe fórmula mágica, porém, algumas técnicas auxiliam a realizar uma boa entrevista de emprego.

Como você se comporta durante uma entrevista de emprego? Deixa a ansiedade e o nervosismo de lado, e confia no seu potencial? Você sabia que o seu corpo passa informações importantes sobre o seu comportamento? Não existem fórmulas mágicas para garantir uma vaga durante a entrevista, porém, há técnicas que podem te ajudar e muito. Que tal ficar por dentro delas?

Você sabe se comunicar?

O profissional precisa saber conversar, expor a sua opinião e argumentos, porque uma comunicação deficiente pode colocar tudo a perder, porque pode passar uma imagem de desconfiança, insegurança ou medo. Por isso, é importante que a pessoa saiba usar as palavras certas, assim como, uma linguagem clara, acessível e coerente.

Atualmente, os departamentos de RH intensificaram as análises dos candidatos e devido a isso conseguem tirar o máximo de informação. Assim, a pessoa precisar ser ela mesma e não tentar passar uma imagem, que não é dela.

Durante a entrevista: olho no olho!

Durante a conversa com o entrevistador, procure sempre olhar nos olhos dele e tome cuidado com o tom de voz durante a entrevista. Procure usar um tom que seja grave e suave, porque indica segurança. Além disso, a entonação pode ser variada e animada, e a palavras devem ser ditas com uma velocidade mais lenta, para que o entrevistador possa escutar todas as informações de forma clara e precisa.

A postura também deve estar correta, e o sorriso no rosto pode facilitar as coisas e te ajudar a conquistar a vaga. Lembre-se de que o seu corpo passa informações para o ambiente, por isso, fique atento.

Qual o seu objetivo?

Durante a entrevista, tenha em mente o que deseja o porquê da vaga e conheça bem a empresa que deseja trabalhar. Mostre interesse pela Companhia e defina plano para curto, médio e longo prazo. Questione o entrevistador, tenha dúvidas, mas faça perguntas que sejam pertinentes e inteligentes. Boa sorte e muito sucesso!

Por Babi


Usar a simplicidade é o grande segredo para fazer uma carta de apresentação que chame a atenção dos recrutadores.

Uma boa carta de apresentação significa uma grande chance de seu currículo chamar atenção de quem o lê, ela é parte essencial da sua descrição e diz muito sobre suas habilidades, principalmente de como você se apresenta para uma empresa. Mas ela não é esse bicho de sete cabeças que muitos pensam, na verdade, o segredo está na simplicidade. Sabendo disso, separamos algumas dicas para você conseguir escrever uma boa carta de apresentação.

– Seja simples e direto:

Nada de ficar contando histórias da sua vida ou coisas que não têm a ver com o cargo que você deseja, a carta não deve passar de uma página; parece óbvio mas é um erro que muitos cometem. O profissional que analisará sua carta pode ter uma fila enorme de outros currículos para ler e não vai querer perder tempo com assuntos desnecessários, mais uma vez, a simplicidade.

– Não conte mentiras:

Também parece óbvio, mas é importante frisar. Qualquer mentira que esteja em sua carta, pode te ajudar a chegar em um próximo estágio de sua contratação, seja a efetivação dela ou uma nova fase da entrevista de emprego, mas ela logo será descoberta e você não só vai ficar sem o emprego como também com a reputação manchada.

– Releia sua carta diversas vezes:

É comum cometermos erros gramaticais mesmo sem querer. Uma palavra digitada erroneamente e pode ser o fim da sua oportunidade, por isso preste sempre atenção no que está escrito e releia sua carta quantas vezes for necessário.

– Não seja chamativo:

Use sempre folha A4 de boa qualidade e de preferência branco, usar papéis coloridos podem deixar sua carta com um mau aspecto.

– Não destaque seus defeitos:

Colocar que não sabe falar inglês, por exemplo, não é uma boa maneira de se escrever uma carta de apresentação. Tente sempre destacar o que há de melhor em você e seus pontos fortes, do contrário, você pode chamar atenção de uma forma negativa.

Por Tom Vitor de Freitas





CONTINUE NAVEGANDO: