As mudanças afetaram o mercado de trabalho, e com elas são buscados profissionais que tenham conhecimentos sobre diversos setores da empresa.

Antigamente os profissionais tidos como mais habilidosos e qualificados do mercado eram aqueles que dominavam suas respectivas áreas de atuação, cada qual em suas habilidades específicas, sem interferir em outros setores. Relações interpessoais e inteligência emocional sequer existiam.

Nos dias de hoje, em meio às novas tecnologias, os profissionais adquiriram outras características e o mercado tem suas demandas. Na prática, destaca-se quem possui conhecimento a respeito de vários temas, não apenas questões restritas às suas áreas de atuação profissional. As qualidades mais prezadas são: proatividade, criatividade, boa comunicação verbal, bom humor e inteligência emocional.

Em entrevista à “Revista Exame”, Ricardo Haag, gerente executivo da Page Personnel, afirma que por causa da instabilidade econômica, foi preciso que empresas e profissionais tivessem de lidar “emocionalmente com pressão”. Ele destaca que se trata de uma “questão de sobrevivência”. Haag menciona a importância e necessidade do funcionário em se relacionar bem com a empresa e demais setores, além de buscar motivação no trabalho.

Outro quesito discutido hoje é a chamada inteligência espiritual, o qual tem um aspecto um tanto quanto espiritualista. Na prática, ter inteligência espiritual é captar situações e contextos pouco aparentes, que se manifestam de forma subjetiva num ambiente de trabalho. É como ter certa sensibilidade para identificar determinadas situações.

Repertório e boa formação:

As empresas também procuram por profissionais com formação mais completa, tanto em termos acadêmicos ou cursos/aprimoramentos na área, como em relação ao repertório (conhecimento sobre questões importantes do mundo contemporâneo). Isso significa também ter visão crítica sobre assuntos essenciais e que impactam a vida de todos (cenário econômico, contexto político, questões ambientais, etc.).

Uma das dicas sugeridas por especialistas em Recursos Humanos é manter em dia o hábito de leitura (sites de notícias, artigos específicos de blogs, jornais, etc.). Vale até criar um roteiro de leitura a ser seguido diariamente. Claro que obter conhecimentos amplos sobre a área de atuação é um requisito importante, mas também se informar sobre os outros setores é uma boa iniciativa para ampliar horizontes e se tornar um profissional diferenciado e singular.

Por Letícia Veloso


O sucesso da empresa está ligado à equipe, portanto, as habilidades pessoais de cada colaborador fazem a diferença.

O capital humano é imprescindível para o sucesso da Organização. Em outras palavras, o sucesso de uma empresa está ligado à sua equipe, ou seja, as pessoas que fazem parte da Companhia. Por isso, para ter sucesso na sua área profissional, existem algumas habilidades, que podem fazer a diferença para o seu crescimento. Que tal ficar por dentro de algumas?

– Você é um profissional flexível?

Imprevistos são comuns e frequentes, por isso, o profissional deve procurar ser flexível e fazer alguns ajustes no cotidiano. Desta forma, a flexibilidade auxilia a lidar com momentos de crise, por exemplo.

– A importância do autoconhecimento e da autoconfiança!

Você precisa se conhecer, ou seja, saber que tipo de profissional é, o que gosta e não gosta, os seus valores, culturas, entre outros. Por meio do autoconhecimento e da autoconfiança, você vai ser capaz de assumir riscos e tomar decisões que considerar coerentes para a empresa. Além disso, o profissional que conhece bem esses atributos passa segurança e confiança para equipe.

Como desenvolver esses atributos? Saia da zona de conforto e defina onde quer chegar e alcançar na sua carreira. Evite superiores que não deleguem tarefas e mantenha o foco no seu objetivo. Aprenda a enxergar as pessoas ao seu redor e comprometa-se com as suas metas.

– Tenha iniciativa!

Seja um profissional proativo e tenha iniciativa para assumir o risco das suas ideias. Para isso, ofereça ajuda às pessoas para resolver os problemas e imprevistos, por exemplo. Tenha clareza das suas prioridades para colocá-las em prática.

– Competividade sadia: ela é essencial!

Seja um profissional competitivo: tenha as metas claras, objetividade, preocupe-se em realizar um bom trabalho dando o melhor de si, queira inovar, ser produtivo, entre outros. A habilidade de ser competitivo está ligada às suas motivações e ambições pessoais, ou seja, o que você deseja realmente para ter o sucesso em sua carreira.

Gostou das dicas? Deixe a sua opinião!

Boa sorte e sucesso na carreira. 

Por Babi





CONTINUE NAVEGANDO: