Em alguns processos seletivos, após a entrevista vem i ponto crucial de negociar o salário. Nesse momento, é importante que o profissional saiba negociar, estando atualizado e capaz de mostrar suas realizações.

Um dos momentos mais sonhados por quem procura emprego é ser selecionado em uma entrevista. No entanto, após esta etapa, chega o momento crucial de negociar o salário. E, esta é uma fase que requer um pouco de “jogo de cintura”. Para isso, abaixo, vamos dar algumas dicas importantes de como se sair bem.

– Prepare-se: Estude antes sobre a empresa, afinal, na hora da negociação, é relevante você mostrar que tem interesse e sabe como ela funciona e qual sua organização. Esse fato poderá fazer com que o recrutador te contrate pelo preço exigido.

– Reciclar: Um ponto chave na hora de conversar sobre o salário é sempre estar atualizado, seja fazendo um curso, um MBA ou uma pós-graduação. É necessário, hoje, que cada vez mais os profissionais se atualizem e, quanto maior o conhecimento, maior o salário.

– Processos Seletivos: Procure não focar todas suas energias em uma única empresa. É interessante participar de vários processos de seleção ao mesmo tempo, afinal, você terá uma base e um argumento quando precisar negociar seu salário.

– Conhecer o valor de mercado: Antes de começar a negociar o salário, busque se informar sobre os valores que o mercado está pagando para um profissional de sua área. Você precisa saber quanto os outros recebem, já que, muitas vezes, as empresas acabam oferecendo uma remuneração bem abaixo do que o piso da categoria, por exemplo.

– Valorização: No momento de negociar seu salário com a futura empresa, mostre-se centrado em seus planos. É importante fazer um planejamento e mostrar para os avaliadores do que você é capaz e que merece um salário bom.

– Destacar suas realizações: Converse com o contratante sobre tudo aquilo que você já fez em sua carreira, os desafios enfrentados e o quanto seu trabalho será importante para a empresa. Desse modo, você poderá negociar um bom salário, afinal, o contratante verá que você é uma peça fundamental e que valerá a pena pagar o que você quer.

Por Andréa Corneli Ortis


Pesquisa revelou que a questão salarial é o principal fator para mudar de emprego. Em segundo lugar ficou o desenvolvimento profissional, e em 3º, as chances de crescimento na carreira.

O LinkeIn divulgou recentemente os resultados obtidos pela sua pesquisa intitulada Tendências de Talentos de 2015. De fato, os resultados já eram meio que esperados levando em consideração alguns dos aspectos do mercado. A questão salarial continua pesando bastante nas decisões que são tomadas pelos profissionais. De acordo com o levantamento, 49% dos brasileiros que participaram da entrevista afirmaram que o principal motivo que os fariam mudar de emprego seria mesmo o valor da remuneração.

Como “segundo colocado” aparece o tópico desenvolvimento profissional. Aqui o percentual apontado foi de 43%. Com 41% e ocupando a terceira posição aparecem as chances de crescimento na carreira.

A rede social LinkedIn possui mais de 350 milhões de usuários ao redor do mundo. Aqui no Brasil, são 21 milhões. A pesquisa Tendência de Talentos considerou levantamentos feitos com mais de 20 mil profissionais espalhados por 29 países. No Brasil, foram 660 entrevistados.

E por falar em entrevista, a maior parte dos participantes disse que não se sentem seguros tanto em relação ao cargo nem com a empresa para a qual irão possivelmente prestar serviços. Isso mesmo considerando que a vaga tenha sido amplamente divulgada.

Um percentual de 87% (a grande maioria) respondeu que sobre esse ponto um bom resultado obtido na entrevista para a vaga poderia fazê-los mudar de opinião sobre o assunto abordado acima. Ainda sobre a entrevista  esses profissionais esclareceram que consideram ela como algo fundamental que pode influenciar e muito na decisão de ingressar na empresa ou então continuar a busca por novas oportunidades.

94% dos participantes brasileiros responderam que após participarem de uma entrevista em alguma empresa o que mais esperam é receber dela um feedback.

Um ponto interessante dessa pesquisa do LinkedIn é que praticamente todos os participantes (brasileiros) disseram que se caso fossem contatados pelo seu futuro gerente ou ainda pelo recrutador a decisão pela aceitação da oferta de emprego poderia ser mais rápida.

Por Denisson Soares


Pedir aumento de salário requer algumas estratégias e análises que devem ser feitas para convencer o empregador.

Você está pensando em pedir um aumento de salário? Como fazer uma boa negociação? O profissional deve saber conversar de forma estratégica e saber usar as palavras certas para convencer o empregador. Além disso, negociar a pretensão salarial pode se tornar uma situação muito embaraçosa. Que tal conferir algumas dicas.

– Saiba negociar!

Antes de ir pedir o aumento para o seu superior, reflita o motivo. Ou seja, saiba o porquê você quer negociar o seu salário, tenha fundamentos e explique de forma clara as razões. Saiba conversar de maneira objetiva, direta e usando as palavras certas. Enfim, procure mostrar ao seu empregador o porquê do aumento, mas a conversa precisa ter argumentos coerentes. Portanto, antes de conversar reflita sobre cada ponto e estratégia que pretende usar para convencer.

– A oferta não foi boa? Seja verdadeiro!

Não tente passar uma imagem que não tem, ou seja, se não está feliz com a nova pretensão salarial seja claro. Diga que não gostou e veja se pode mudar. Não finja concordando, assuma que não ficou satisfeito com a nova proposta e tente elaborar outra que fique bom para ambos. Em outras palavras: não finja estar feliz. Seja você, sempre!

– Quais são as suas prioridades?

Qual a importância que o salário tem para você? O que ele representa em sua vida? Faça uma lista de prioridades e depois informe ao seu superior a importância da negociação. Mas converse de forma objetiva e mantenha a calma e a tranquilidade, sempre.

– Espere um momento bom!

Não adianta pedir aumento para o seu chefe, quando ele não está de bom humor ou tem a agenda lotada. Saiba aguardar o momento certo para ter este tipo de conversa. Espere por um dia em que ele vai estar com menos reuniões, menos tarefas e vai estar com bom humor. Além disso, procure colaborar na sua empresa, seja um funcionário proativo, assim, você vai conseguir coisas positivas.  

Por Babi





CONTINUE NAVEGANDO: