Auxiliar de Pesquisa. Esta é a vaga que está sendo oferecida pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese) para o seu escritório regional situado em João Pessoa (PB).

Existe apenas uma vaga. O candidato selecionado irá atuar no levantamento de preços, nos supermercados, dos itens que compõem a Cesta Básica. São seis horas diárias de trabalho, de segunda a sexta-feira, e a remuneração é de R$ 526,78. Os benefícios oferecidos são auxílio-creche (para filhos com até sete anos), vale-transporte, seguro de vida em grupo e plano de saúde.

Os candidatos precisam comprovar experiência mínima de seis meses em pesquisas. Os currículos devem ser encaminhados até o próximo dia 14 de maio, para o e-mail currículo@dieese.org.br. No campo assunto deve constar a informação “Auxiliar de Pesquisa-PB”.

Por Alexandre de Souza Acioli


A capital mineira foi a primeira cidade planejada do país e de acordo com dados divulgados em 2009 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) possui população de 2.452,617 habitantes, sendo a sexta cidade mais populosa do país.

É uma das 10 melhores cidades para se fazer negócios da América Latina em 2009, segundo ranking divulgado pela América Economía, ficando à frente de cidades como Rio de Janeiro, Brasília e Curitiba. É também a quarta cidade mais rica do Brasil, com 1,38% do PUB nacional.

Os destaques econômicos da cidade são o setor financeiro e de serviços: há uma grande predominância do setor terciário na economia de Belo Horizonte, sendo que mais de 80% da economia do município estão concentrados nos setores de comércio, serviços financeiros, atividades ligadas ao setor de compra/venda/locação de imóveis e administração pública.

Segundo dados do DIEESE, em 2008, a taxa de desemprego dos homens era de 7,2% e das mulheres, 12,7% . A distribuição da população economicamente ativa, por sexo, segundo dados de 2008, indica 52,7% de homens ocupados contra 47,3% das mulheres. Nas regiões menos favorecidas da cidade, situadas principalmente nos extremos sul e norte e nas favelas, a taxa de desemprego ultrapassa 10%, sendo que nas regiões noroeste e centro sul é da ordem de 4%.

No município, a distribuição de emprego está concentrada na região sul da cidade, seguindo então para os eixos oeste e norte. A cidade ainda sofre com falta de mão de obra qualificada: sobram vagas em setores que exigem qualificação e maior escolaridade.

Ainda segundo dados do DIEESE, o rendimento médio das mulheres foi de R$903,00 (dados do ano de 2008): elas se concentram basicamente em atividades ligadas a serviços sociais e manuais.

Os homens possuem rendimento maior: R$1333,00 (dados de 2008): eles estão em maiores proporções do que as mulheres em postos na indústria, construção civil e setor e serviços distributivos.

As ocupações que mais empregam estão concentradas nos setores de empregados domésticos não especializados, motoristas, alfaiates, costureiros, cozinheiros, faxineiras e mecânicos. Já as ocupações mais bem remuneradas  da capital mineira são a dos magistrados, procuradores, comerciantes, médicos e empresários em geral.

Por Cris Keller





CONTINUE NAVEGANDO: