Consultoria afirma que profissionais que trabalham menos horas por dia tendem a ter melhor produtividade.

Uma consultoria acaba de concluir que trabalhar menos aumenta a produtividade. Verdade ou mentira? Confira nesse artigo.

Não foi a primeira vez que esse tipo de constatação encheu de alegria os homens e mulheres que passam até 12 horas num local de trabalho, e o pior, sem qualquer previsão de ver seu expediente, enfim, terminar.

Agora foi a vez da consultoria inglesa Expert Market concluir que trabalhar menos horas aumenta a produtividade e melhora a economia de um país, diferentemente do que a lógica parecia indicar.

Em um estudo foi feito com base na observação da jornada de trabalho em 36 países de todos os continentes (menos o Brasil), a empresa concluiu que os países mais ricos economicamente são também aqueles cujos funcionários trabalham menos horas por ano.

Países como a Alemanha, por exemplo, com não mais que 1.371 horas trabalhadas anualmente, por pessoa, apresentou uma impressionante produtividade de 25,9 libras/h, colocando-a entre as 6 nações mais produtivas do mundo.

Valor esse que nem ao menos chegou perto da impressionante produtividade de 45,71 libras p/ hora em Luxemburgo, colocando-o no alto do podium, como a economia mais produtiva do mundo, mesmo não ultrapassando as 1.643 horas de trabalho p/ano.

Quando comparados a esses países, nações como Chile (1.989 h para uma produtividade de 8,96 libras), México (2.228 h para produtividade de 5,96 libras) e Costa Rica (2.216 h para produtividade de 5,31 libras), definitivamente parecem estar na contramão do que se espera nos dias atuais, ou seja, trabalhar menos para que se possa, enfim, atingir o tão sonhado aumento da produtividade.

No entanto, há um problema nesse estudo! Pois, de acordo com outro estudo publicado pela diretora de Estudos e Políticas Setoriais de Inovação, Regulação e Infraestrutura do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Fernanda Negri, e pelo consultor legislativo do Senado, Luiz Ricardo Cavalcante, o problema da baixa produtividade, especificamente no Brasil, vem de uma “questão estrutural da economia, devido à baixa capacidade de incorporar tecnologias para produzir melhores produtos, baixa qualidade da educação, além da forma inadequada da força de trabalho”.

Uma das provas disso é que o Brasil, que já experimentou no início dos anos 2000 um crescimento do PIB da ordem de 7,1%, não conseguiu fazer com que sua produtividade se refletisse nesse crescimento; não ultrapassando 1,4%.

Uma conclusão que parce óbvia é que esse número pequeno de horas trabalhadas por parte do trabalhadores dos países desenvolvidos pode ser melhor definido como o efeito e não a causa da sua produtividade.

Significando dizer que, cercados de toda a tecnologia, pouca burocracia, educação, infraestrutura, etc, são capazes de produzir mais em menos tempo. O que, obviamente, irá traduzir-se em menos horas trabalhadas.

O sonho, portanto, de poder um dia trabalhar menos, ganhar mais e ainda contribuir positivamente para a economia do país, terá que ser adiado! Pelo menos a médio prazo.

Pois comprovadamente uma quantidade menor de horas trabalhadas é apenas e tão somente o efeito ou o reflexo de uma economia bem estruturada e equilibrada, e nem de longe a causa da sua produtividade.

Vivaldo Pereira da Silva


Se você pretende ingressar no mercado de trabalho por meio de uma grande empresa não pode perder as oportunidades abertas pela Rede de Fast food Burguer King. A empresa informou que estará selecionando profissionais para o provimento de postos de trabalho disponíveis em diversas unidades em diferentes regiões do Brasil.

De acordo com as informações divulgadas são abertas aos interessados um total 412. A grande maioria delas são voltadas para a cidade do Rio de Janeiro, neste caso são 263 chances. A Burguer King não estabeleceu data de encerramento das inscrições, entretanto, informou que receberá as inscrições até o provimento total das vagas.

Entre os postos de trabalho com vagas em aberto estão as chances para os cargos de coordenador, gerente e atendente. A empresa ressalta que todas essas funções requerem do candidato disponibilidade de horário inclusive nos fins de semana. Também é preciso gostar de trabalhar em restaurantes, ter comprometimento, cordialidade no atendimento ao cliente e facilidade de trabalhar em equipe entre outros pontos considerados como diferenciais.

Os interessados em concorrer para o cargo de atendente precisam contar com formação de nível médio completo ou cursando, para a função não será cobrada experiência. Como requisito para o cargo de gerente será observado o nível superior completo além de conhecimento na área e experiência em gestão de pessoas. O cargo de coordenador também requer formação de nível superior mesmo que o candidato ainda esteja cursando o mesmo.

De acordo com a Burguer King os aprovados na seletiva deverão ser submetidos a um treinamento realizando ainda antes da inauguração dos restaurantes. Outro detalhe é que a empresa oferece diversos benefícios como, por exemplo, assistência médica, refeição no local, PLR semestral, remuneração variável mensal e plano de carreira.

Os profissionais que atenderem os requisitos exigidos e quiserem se inscrever poderão se candidatar no seguinte endereço Rua Buenos Aires, 68, 6º andar, Centro, Rio de Janeiro, local onde se encontra a Consultoria Allis. O atendimento é feito de segunda a sexta a partir das nove horas.

Por Denisson Soares





CONTINUE NAVEGANDO: