O trabalhador acorda com ânimo para desempenhar suas funções, mas termina o dia sem fôlego para querer continuar na empresa. O que aconteceu durante seu expediente? Certamente, foram as relações de trabalho que o prejudicaram.

O chamado assédio moral já foi diagnosticado por diversos especialistas. Geralmente, é escolhida uma vítima entre os funcionários para ser alvo da perseguição: por repetidas vezes, recebe mensagens irônicas ou ofensivas, que menosprezam o diferencial competitivo do profissional, sugerem ameaças de mortificação, desemprego, referem-se a ele como pouco qualificado ou inteligente, fragilizam ou inferiorizam, difama ou ridicularizam, impedem a pessoa de se expressar sem dizer o porquê, exigem desempenho além de suas condições de tempo e dinheiro.

As consequências para a empresa começam na queda de produtividade. Para o trabalhador, são doenças físicas e psíquicas e possivelmente um litígio judicial. Para saber mais sobre o assunto: www.assedio.net.

Por Karina Gonçalves


Você está se sentindo intimidado no trabalho? As mãos suam frio diante de mais um dia na empresa? Seu superior ou colegas frequentemente criam um clima hostil a sua volta? Preste atenção, você pode estar sofrendo assédio moral.

Agressões frequentes, ironias, piadas, ou mesmo isolamento, indiferença e desprezo são atitudes do perfil do assediador com a intenção de enfraquecer e desestabilizar seu alvo. Estudos sobre o assédio moral no trabalho demonstram que o perfil da vítima, normalmente, é de pessoas competentes, honestas, com bons salários e que não se subjugam ao autoritarismo.

Problemas e conflitos no ambiente de trabalho são comuns, mas quando a opressão se torna constante e uma ou mais pessoas procuram desestabilizar um colega, seja ele subordinado ou superior, é possível que seja um quadro de assédio moral no trabalho.

Para mais informações sobre esse mal contemporâneo, maneiras de se prevenir dele e denunciá-lo acesse www.assedio.net ou procure o Ministério do Trabalho www.mte.gov.br.

Assista ao vídeo abaixo, com Rossana Floriano, autora do livro “Acosso Laboral nas Organizações”.





CONTINUE NAVEGANDO: