Pagamento do Abono Salarial vai de julho de 2018 até junho de 2019. Valores podem chegar a um salário mínimo.

Em meio a toda crise financeira e política que vive o Brasil, uma boa notícia chega aos trabalhadores brasileiros. É que no final do mês de julho, o Governo Brasileiro liberou o Pagamento do Abono Salarial Pis-Pasep 2018/2019 (Ano Base 2017).

O que é o Abono Salarial?

Pois bem, o Abono Salarial Pis-Pasep é um benefício anual oferecido aos trabalhadores brasileiros que recebem até dois salários mínimos e contribuem ao Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PASEP) ou ao Programa de Integração Social (PIS). O PIS/PASEP foi criado em 1970 por Emílio Garrastazu Médici, através da Lei Complementar 7/70, nº 7. Ambos os programas tinham como objetivo financiar o Abono, Seguro Desemprego e Participações nas receitas de órgãos públicos e privados.

Quem tem Direito ao Abono Salarial?

Têm direito ao Abono Salarial os trabalhadores cadastrados no PIS (que trabalham em empresas privadas) ou Pasep (que trabalham em órgãos públicos) há pelo menos 5 anos e que tenham renda média mensal de dois salários mínimos durante o ano-base (2017). Além disso, é preciso ter exercido alguma atividade remunerada no ano base (durante pelo menos 30 dias).

Calendário de Pagamento

Caso você tenha se encaixado nos requisitos citados no tópico acima, você terá direito a uma quantia de dinheiro referente ao Abono Salarial (valor proporcional ao período trabalhado no ano-base). Dito isso, confira o calendário de pagamento.

Vale lembrar que o valor do Abono Salarial pode variar entre R$ 80 e R$ 954. A quantia será definida de acordo com o tempo em que a pessoa trabalhou no ano de 2017.

Cálculo do Valor a Receber

O cálculo do valor a receber através do benefício é relativamente fácil. Como o Abono Salarial é associado aos meses trabalhados no exercício anterior, quem trabalhou apenas um mês no ano base (2017) receberá 1/12 do salário mínimo. Já quem trabalhou 2 meses no ano de 2017 receberá 2/12 do salário mínimo. Quem trabalhou 3 meses em 2017 receberá 3/12 do salário mínimo. Já quem trabalhou 4 meses em 2017 receberá 4/12 do salário mínimo. Quem trabalhou 5 meses receberá 5/12 do salário mínimo. Já quem trabalhou 6 meses em 2017 receberá meio salário mínimo. Quem trabalhou 7 meses em 2017 receberá 7/12 do salário mínimo. Já quem trabalhou 8 meses receberá 8/12 do salário mínimo. Quem trabalhou 9 meses em 2017 receberá 9/12 do salário mínimo, enquanto quem trabalhou 10 meses neste mesmo ano receberá 10/12 do salário mínimo. Por fim, quem trabalhou 11 meses em 2017 receberá 11/12 do salário mínimo, enquanto quem trabalhou o ano inteiro receberá o valor integral de um salário mínimo.

Calendário de Pagamento do Abono Salarial

PIS

  • Nascidos em Julho receberão o Abono Salarial entre os dias 26 de julho de 2018 até 28 de junho de 2019.
  • Nascidos em Agosto, o dinheiro será liberado do dia 16 de agosto de 2018 até o dia 28 de junho de 2019.
  • Nascidos em Setembro, o dinheiro será liberado entre os dias 13 de setembro de 2018 até o dia 28 de junho de 2019.
  • Nascidos em Outubro, o dinheiro estará disponível entre os dias 18 de outubro de 2018 até 28 de junho de 2019.
  • Nascidos em Novembro, o dinheiro estará disponível entre os dias 20 de novembro de 2018 a 28 de junho de 2019.
  • Nascidos em Dezembro, o valor estará disponível para os consumidores entre 13 de dezembro de 2018 e 28 de junho de 2019.
  • Nascidos em Janeiro, o dinheiro será liberado entre os dias 17 de janeiro de 2019 e 28 de junho de 2019.
  • Nascidos em Fevereiro, o dinheiro será liberado entre 17 de janeiro de 2019 e 28 de junho de 2019.
  • Nascidos em Março, o valor será liberado entre 21 de fevereiro de 2019 e 28 de junho de 2019.
  • Nascidos em Abril, o dinheiro será liberado entre 21 de fevereiro de 2019 e 28 de junho de 2019.
  • Nascidos em Maio, sua remuneração vai de 14 de março de 2019 a 28 de junho de 2019.
  • Nascidos em Junho, o dinheiro será liberado entre 14 de março de 2019 e 28 de julho de 2019.

PASEP

  • Final de inscrição 0 receberá o dinheiro entre 26 de julho de 2018 e 28 de junho de 2019.
  • Final de inscrição 1 receberá o dinheiro entre16 de agosto de 2018 e 28 de junho de 2019.
  • Final de inscrição 2 receberá o dinheiro entre13 de setembro de 2018 e 28 de junho de 2019.
  • Final de inscrição 3 receberá o dinheiro entre18 de outubro de 2018 e 28 de junho de 2019.
  • Final de inscrição 4 receberá o dinheiro entre 20 de novembro de 2018 e 28 de junho de 2019.
  • Final de inscrição 5 receberá o dinheiro entre17 de janeiro de 2019 e 28 de junho de 2019.
  • Final de inscrição 6 receberá o dinheiro entre 21 de fevereiro de 2019 e 28 de junho de 2019.
  • Final de inscrição 7 receberá o dinheiro entre 21 de fevereiro de 2019 e 28 de junho de 2019.
  • Final de inscrição 8 receberá o dinheiro entre 14 de março de 2019 e 28 de junho de 2019.
  • Final de inscrição 9 receberá o dinheiro entre 14 de março de 2019 e 28 de junho de 2019.

Como Receber o Dinheiro:

Agora que você já sabe as datas de pagamento do benefício, resta saber como resgatar esse dinheiro. O processo é relativamente fácil, porém, os trabalhadores de empresas públicas e privadas precisam ficar atentos, pois os bancos para resgate dos valores se diferem entre eles. Quem trabalha na iniciativa privada deve resgatar o valor na Caixa Econômica Federal, enquanto que quem trabalha em órgãos públicos devem resgatar os valores no Banco do Brasil. No banco, seja no Banco do Brasil ou na Caixa Econômica, o trabalhador deve apresentar o RG e o número do PIS/Pasep. Há também a possibilidade de receber o valor nas Lotéricas, porém, esta opção só está disponível para quem tem o Cartão Cidadão. Vale lembrar ainda que os servidores públicos geralmente recebem os valores em depósito em conta, caso os servidores não constatem este depósito, devem comparecer a alguma agência do Banco do Brasil e apresentar um documento de identificação.

Contato para Dúvidas

Os trabalhadores que estiverem com dúvidas em relação ao pagamento do Abono Salarial podem entrar em contato com a Caixa Econômica Federal (trabalhadores da iniciativa privada) ou Banco do Brasil (servidores públicos).

A Caixa Econômica Federal disponibiliza o número de telefone 0800-726-02-07 e o site www.caixa.gov.br/PIS. Há ainda a possibilidade de tirar dúvidas em qualquer agência do banco.

Já o Banco do Brasil disponibiliza o telefone 0800-729 00 01. Há também a possibilidade de tirar dúvidas no próprio banco (em qualquer agência).

 


Confira aqui o calendário de pagamento do Abono Salarial PIS-Pasep 2017-2018.

Chegamos ao segundo semestre do ano de 2017 e agora é hora de falar sobre o benefício do PIS/Pasep referente aos anos 2017 e 2018. É que de acordo com informações da Caixa Econômica Federal, a partir do final deste mês de julho quem possui direito ao benefício já poderá começar a realizar os saques.

O Calendário do PIS/Pasep 2017/2018 foi oficialmente divulgado na última segunda-feira dia 03 de julho. Segundo o calendário, as pessoas que nasceram nos meses de julho até dezembro devem sacar os seu benefício ainda neste ano de 2017. Por sua vez, aqueles que nasceram nos meses de janeiro até junho devem receber nos primeiros meses do ano de 2018.

De qualquer forma, independente do mês de nascimento, o abono referente ao PIS/Pasep estará disponível para saque até a data de 29 de junho do ano de 2018, que é o prazo final de recebimento.

Para quem ainda possui dúvidas se tem ou não direito a receber este abono, é fácil descobrir. Se você no ano base de 2016 trabalhou com carteira registrada pelo período mínimo de 30 dias, possui inscrição no Programa do PIS/Pasep e recebia a remuneração de até dois salários mínimos brasileiros.

O valor do benefício é calculado de acordo com o número de meses trabalhados. Sendo que o valor mínimo para recebimento parte de R$ 78, chegando até R$ 937, que é o salário mínimo brasileiro.

Quem trabalhou em empresas da iniciativa privada pode realizar o saque de seu saldo em qualquer agência da Caixa Econômica Federal. Por sua vez, os servidores públicos que são inscritos no Pasep podem realizar o saque em agências do Banco do Brasil.

Para realizar o saque do abono é só apresentar um documento para identificação e o número de inscrição dos Programas PIS/Pasep. Ou também é possível realizar o saque com o Cartão Cidadão e senha já registrada.

A previsão é de que 24,12 milhões de pessoas recebam o abono, que apresenta uma soma de R$ 16,5 bilhões.

Nesse sentido, se você trabalhador possui direito a receber o abono salarial do PIS/Pasep, fique atento ao calendário e realize o seu saque no tempo certo. Não deixe para a última hora e nem deixe de sacar, pois o abono é um direito seu.

Confira abaixo o Calendário de Pagamento do Abono Salarial:

Sirlene Montes


Procura o calendário de pagamento do PIS 2018, referente ao ano de 2016? Então, visite o calendário de pagamento do PIS 2018 aqui.

Confira aqui mais informações sobre o pagamento do PIS 2017.

O PIS 2016/2017 começou a ser pago no dia 28/07/2016, de acordo com o mês de nascimento do trabalhador e finaliza no dia 16/03/2017, são doze datas, uma para cada mês, começando dos aniversariantes de Julho e finalizando com os de Junho em 2017, o recurso ficará disponível até 30 de junho de 2017.

O recurso pode ser sacado em vários locais. Quem tem conta corrente ou conta poupança na Caixa Econômica Federal recebe por crédito em conta, caso esta conta esteja sendo movimentada e com saldo superior a R$1,00. O valor também pode ser resgatado nas casas lotéricas, nos caixas eletrônicos da Caixa (utilizando o cartão cidadão) e nas agências bancárias da Caixa (para quem não tem o cartão, utilizando um documento de identificação e o número do PIS).

As regras para ter direito ao abono são as seguintes:

  • A empresa deve ter informado os dados do trabalhador na Relação Anual de Informações;
  • O trabalhador deve ter cadastro no PIS por no mínimo 5 anos;
  • Ter trabalhado pelo menos 30 dias no ano anterior ao recebimento do abono, estes 30 dias podem ser consecutivos ou não.

Uma nova regra que desagradou muitos trabalhadores é o cálculo do valor do PIS de acordo com o período trabalhado no ano anterior. Antes, se o trabalhador tivesse trabalhado um mês no ano anterior e cumprisse as regras, receberia o salário mínimo integral, agora este abono é proporcional, se você trabalhou um mês vai receber o valor de 1/12 do salário mínimo e assim por diante.

É importante salientar que todo período fracionado (a partir de 30 dias) que seja igual ou superior a 15 dias, ou seja, 45 dias ou 75 dias, conta como mês completo, portanto, 45 dias conta como 2 meses e 75 dias conta como 3 meses para o cálculo do valor do abono.

Então faça suas contas e não perca o prazo para receber seu abono referente ao ano de 2015 e caso tenha perdido o prazo do abono referente ao ano de 2014, pode ficar tranquilo, o prazo foi prorrogado até 31 de agosto. Maiores informações consulte o site da Caixa.


Saiba o que acontece com a pessoa que não sacar o Abono Salarial.

O abono salarial é um benefício anual ao qual empregados da rede privada têm direito. O trabalhador precisa ter carteira assinada e estar cadastrado no PIS (Programa de Integração Social), do Governo Federal. Os servidores públicos também podem contar com o auxílio, desde que estejam inscritos no Pasep.

Essa renda tem valor equivalente a um salário mínimo vigente no dia do pagamento. Somente o trabalhador que recebe até 2 salários mínimos mensais pode contar com o abono salarial.

Em relação ao Calendário 2016/2017, o trabalhador que nasceu entre o mês de julho e o mês de dezembro pode sacar o benefício ainda esse ano. Por outro lado, os que nasceram entre o mês de janeiro e o mês de junho só receberão o abono salarial no primeiro trimestre de 2017. O prazo final para receber o benefício é 30 de junho de 2017.

Para ter direito ao abono salarial o trabalhador precisa estar cadastrado no PIS há, no mínimo, 5 anos. A inscrição no programa é realizada no momento de fazer a carteira de trabalho.

É exigido também que o empregado tenha suas informações corretas e atualizadas no RAIS (Relação Anual de Informações Sociais) do ano-base em questão.

Além disso, é preciso ter trabalhado no ano anterior, com carteira assinada, por período superior a 30 dias. Os dias podem ser contabilizados ocorrendo no mesmo emprego ou em empregos diferentes, desde que seja alcançada a quantidade de dias exigida.

Para sacar o PIS, o trabalhador precisa averiguar se seu benefício foi depositado na conta diretamente. Em caso negativo, é preciso comparecer à Caixa ou Casa Lotérica munido de seu Cartão Cidadão e a respectiva senha. Se não possuir o cartão, o favorecido pode receber seu valor em agências Caixa, desde que possua documento de identificação válido.

O beneficiado inscrito no Pasep deve comparecer a uma agência do Banco do Brasil com documento de identificação para retirar seu benefício.

O abono salarial que não é sacado até a data limite estabelecida retorna para os cofres do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador). O valor do benefício não é cumulativo, sendo assim, quando não realiza seu resgate em tempo hábil, o empregado perde o direito de receber o benefício daquele ano, salvo por decisão judicial (recentemente, a II Vara Cível de São Paulo reconheceu o direito para quem perdeu o caso em até 5 anos após o prazo inicial. No entanto, permanece sendo necessário apelar à justiça para isso).

Os valores devolvidos aos FAT são usados no pagamento de seguro-desemprego é o pagamento do benefício do ano-base seguinte. O montante também é utilizado para custear cursos de qualificação profissional e projetos semelhantes através do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

Por Fábio Santos


Há várias maneiras de encontrar o número do PIS. Uma delas é acessar o site do Dataprev e rapidamente aparecerá o Número de Identificação do Trabalhador, que é o mesmo do PIS.

O PIS é uma iniciativa do Governo para os trabalhadores. Através dele, o funcionário consegue receber seus direitos trabalhistas, como o seguro-desemprego e o abono salarial. Uma das dificuldades encontradas pelo trabalhador que não possui o Cartão Cidadão, ou que o perdeu por algum motivo, é saber exatamente qual o número de seu PIS.

O número que consta no PIS é o mesmo do NIT, ou Número de Identificação do Trabalhador. O NIT substituirá futuramente o antigo PIS/PASEP.

Uma das maneiras mais simples de encontrar o seu cadastro, é olhar a última folha de sua carteira de trabalho. Mas muitas vezes o empregador esquece de fazer a anotação na carteira de seu empregado. Nesse caso, será preciso acessar o site do Dataprev. Lá há um espaço de cadastramento para novos usuários, e é exatamente aí que o trabalhador consegue ter acesso ao número de seu PIS.

O endereço do Dataprev é www5.dataprev.gov.br/cnisinternet. Ao acessar o site, é preciso ter seus documentos pessoais, como identidade e CPF em mãos.

Há duas opções: “Afiliado” ou “Não afiliado”. De preferência escolha a opção afiliado e insira os dados requisitados: nome da mãe, nome completo, data de nascimento e seu nome completo. Para prosseguir com a pesquisa é preciso ainda fornecer o número de algum documento de identificação.

Após preencher os campos descritos acima (não é necessário preencher todos, já que o acesso é apenas em caráter de consulta), clique em “continuar”, e o número de seu PIS aparecerá numa mensagem na parte superior da próxima página.

Caso queira uma comprovação, imprima a página. Na maioria dos casos somente esse comprovante já é suficiente para comprovar sua inscrição no PIS.

Para evitar repetir esse procedimento todas as vezes em que precisar do número do seu PIS, é altamente recomendável que você vá até uma das agências da Caixa Econômica Federal, e peça o seu Cartão Cidadão. Através dele é muito mais fácil realizar o saque de seus benefícios, em qualquer um dos terminais eletrônicos do banco.

Por Rodrigo Silva


A responsabilidade é da empresa cadastrar o funcionário no programa, caso ele já não tenha um número de inscrição cadastrado.

Para conseguir efetuar o cadastramento do PIS pela internet, é necessário que as empresas interessadas façam através do site da Caixa Econômica Federal. Nele estão disponíveis informações sobre as etapas do cadastramento e as vantagens oferecidas pelo programa de integração social.

O PIS/PASEP é um programa de integração social que fornece ao trabalhador uma quantia para complementar sua renda. A colaboração é uma forma das empresas garantirem vantagens para seu funcionário, servindo como uma assistência financeira ao trabalhador. Profissionais com mais de 5 anos cadastrados no programa e que recebem até 2 salários mínimos, têm direito ao abono salarial.

Em seguida ao processo de contratação, a empresa deve cadastrar o seu novo funcionário no programa, gerando o número de inscrição (caso o funcionário não tenha) e solicitando a disponibilização do Cartão Cidadão. Junto ao Cartão Cidadão, que possui o NIS (Número de Identificação Social), é disponibilizada uma senha que possibilita ao trabalhador acompanhar a situação do seu benefício através do site da CEF.

O cadastramento ao programa é um direito do trabalhador, e pode ser efetuado de duas formas diferentes: online ou em lote.

O cadastro online, como o próprio nome sugere, consiste no cadastro através do site da CEF de forma individual.

Já o cadastramento em lote possibilita que empresas efetuem o cadastro de seus funcionários de uma vez só, evitando o cadastro individual. Na maneira em lote, é necessária a geração de um arquivo para envio que a Caixa Econômica Federal irá analisar, e caso esteja corretamente preenchido, retorna uma lista com os números de PIS/PASEP incluídos e os respectivos códigos de retorno.

O cadastramento é realizado pelo empregador, mas a manutenção das informações é feita pelo próprio trabalhador. O profissional deve procurar a CEF sempre que precisar atualizar suas informações.

O número de identificação social (NIS) identifica o trabalhador para o recebimento dos benefícios sociais FGTS, seguro desemprego, abono salarial e também será utilizado para controle dos dados para aposentadoria.

Por Jean Fretta Pereira





CONTINUE NAVEGANDO: