O Gerente de Contas é o profissional responsável pela intermediação entre sua empresa e os clientes que ela atende.

Existem algumas funções fundamentais dentro do universo dos negócios uma delas é o de Gerente de Contas. Este é um cargo de suma importância, sobretudo em empresas prestadoras de serviço como escritórios de advocacia, bancos, agências publicitárias, escritórios de contabilidade etc,

O Gerente de Contas é o profissional responsável pela intermediação entre sua empresa e os clientes que ela atende. Geralmente esses clientes são outras companhias pelas quais o Gerente de Contas tem total responsabilidade. Veja mais detalhes sobre a função deste profissional.

O que faz o Coordenador ou Gerente de Contas

Empresas prestadoras de serviços diversos precisam ter um profissional para gerenciar as demandas de seus clientes. Além disso, também fica a cargo deste profissional:

· Negociar propostas e contratos

· Trabalhar com soluções personalizadas para a demanda do cliente

· Gerenciar suas carteiras

· Realizar reuniões e apresentações sobre produtos e projetos

· Fazer orçamentos

· Elaborar projetos de acordo com a necessidade do cliente visando atendê-lo da melhor maneira

· Fazer visitas aos clientes a locais de venda

· Acompanhar os projetos sob sua responsabilidade e sua execução

· Certifica-se sobre o cumprimento dos prazos para atender com eficiência o cliente

· Participar de eventos

· Buscar novos clientes em potencial

· Verificar novas oportunidades de projetos e desenvolvimentos de produtos junto aos atuais clientes etc

Formação do Gestor de Contas

Não existe uma formação específica para se tornar um Gerente de Contas, isso irá depender do segmento em que a empresa atua, o tipo de serviço que ela presta, ou o produto com qual trabalha.

Graduações como Administração de Empresas, Contabilidade, Economia e Gestão de TI, são as áreas comuns do Gestor de Contas, porém outras áreas do conhecimento como, Comunicação Social, Marketing, Publicidade e Propaganda, Relações Públicas e Jornalismo, também são contempladas.

Tão importante quanto a graduação, são as ferramentas, habilidades e qualidades que alguém neste cargo precisa ter, que fazem realmente a diferença.

Sendo o Gerente de Contas o elo entre sua empresa e os clientes, ele precisa ter habilidades que o auxiliem a resolver problemas e enfrentar os desafios apresentados pela sua clientela.

Este profissional precisa ser comunicativo, proativo, inovador, ter criatividade, um ótimo relacionamento interpessoal, saber lidar com prazos e boa comunicação escrita e verbal pois estará sempre negociando com os clientes, demonstrando suas propostas e projetos, incentivando sua equipe de trabalho, analisando os principais problemas a serem resolvidos e em constante contato com outros setores de sua companhia, como área de Vendas e Financeiro, por exemplo.

Além de boa comunicabilidade, é interessante que este profissional tenha:

· Domínio do Pacote Office, sabendo trabalhar com PowerPoint para incrementar as apresentações e tornar as reuniões mais interessantes.

· Inglês intermediário

· Experiência nos setores de Vendas, Planejamento e Atendimento.

Remuneração e Mercado de trabalho

Há uma grande competitividade no mundo dos negócios e as empresas se destacam não apenas pelo seu produto, mas principalmente pela sua imagem e estreitamento de laços com os clientes, por isso é cada vez mais importante o papel do Gerente de Contas.

Ele carrega a imagem da empresa e a representa ao se relacionar com seus clientes e nos locais de venda e divulgação do seu produto ou serviço.

Um trabalho de gerenciamento de contas executado com eficiência e comprometimento é a garantia de fidelização do cliente e surgimento de novas contas.

Esse profissional, ao garantir que seu cliente tenha todas as suas necessidades atendidas, o fará retornar para realizar novas parceria em outros projetos.

A remuneração para este profissional vai depender do grau hierárquico que ele ocupa e o tamanho da empresa em que atua.

Um trainee pode ganhar R$ 3.297,05 em uma empresa de pequeno porte. Já em uma grande empresa, um funcionário Master, pode ganhar até R$ 2.1187,58.

O mercado de trabalho está em ascensão, pois há uma intensa procura por bons profissionais nesse ramo.

Por Fabíola de Moraes


Conheça todas as informações sobre o cargo de Secretária Executiva.

O cargo de Secretária Executiva é muito importante dentro de uma empresa. Ela faz todo o trabalho de organização de agenda e documentos, além de muitas outras funções. Vamos falar abaixo sobre as principais funções dentro do cargo de secretária executiva. Vamos as principais dúvidas:

Somente mulheres podem exercer essa função?

A função de secretária executiva normalmente é exercida por mulheres, podem dizer que 85% das vagas são para as mulheres. Porém, algumas empresas quebraram esse rótulo e estão contratando homens para essa função que é denominado como secretário executivo. É apenas necessário ter aptidão para cumprir todas as tarefas exigidas para a função.

A secretária executiva é o braço direito de um executivo

A expressão braço direito quer dizer: Aquela que apoia, que está ao lado para qualquer problema, que traz a solução e muito mais. A secretária executiva trabalha ao lado do seu chefe (executivo) o tempo todo. Ela anota informações importantes e passa outras informações preciosas para o executivo que a contratou. O trabalho da secretária executiva precisar manter total discrição sobre seu trabalho e ser fiel ao seu chefe. Todas as informações precisam ser passadas diretamente sem a chance de vazar para outras pessoas. Por isso ela precisa ser muito discreta em todas as suas tarefas.

Funções de uma secretária executiva

– Ser o braço direito do executivo

– Preparar toda agenda profissional do executivo

– Recepcionar os clientes do setor executivo em que trabalha

– Fazer e receber ligações nacionais e internacionais

– Preparar e acompanhar reuniões

– Despachar e conferir diversos tipos de documentos

– Participar de decisões importantes da empresa

– Realizar o pagamento de contas

– Planejar e organizar eventos da empresa e muito mais

Salário de uma secretária executiva

O salário de uma secretária executiva pode variar muito. Esse valor vai depender dos seguintes fatores:

Experiência profissional

Planejar viagens

Funções que irá exercer

Se possui curso superior

Se fala mais de 1 idioma ou mais

Cursos extracurriculares

Empresa onde irá trabalhar

Partindo dessas informações o salário pode variar de R$ 2.000 a R$ 5.000 ou mais. Fora os benefícios.

Requisitos exigidos de uma secretária executiva

Alguns requisitos são fundamentais no cargo de uma secretária executiva, entre eles estão:

1- Domínio da gramática portuguesa para redigir documentos e planilhas para seu chefe.

2- Ter domínio de mais de 1 língua (Algumas empresas não exigem isso, porém, falar outro idioma além da sua língua nativa é uma grande diferencial).

3- Ter ótima comunicação

4- Ter ótima fluência verbal (saber falar corretamente e usar o tom de voz correto).

5- Ter postura no setor de trabalho e saber se vestir corretamente para o seu cargo.

6- Ter total domínio dos seguintes programas: Word, Excel, PowerPoint e Outlook.

7- Ter extrema organização tanto no ambiente de trabalho como em sua execução.

Uma secretária executiva precisa ter disponibilidade de horário e para viajar.

Muitas empresas são exigentes ao selecionar uma secretária executiva. E uma parte bem importante para a contratação de uma nova secretária executiva é sua disponibilidade de horário e para viajar. Para essa função a candidata precisa estar aberta a não ter horários certos e ter a disponibilidade de viajar a trabalho sempre que a empresa precisar. Como já foi dito anteriormente, a secretária executiva é o braço direito do seu chefe, e precisa participar de quase todos os eventos em que ele está tal como reuniões, jantares e viagens. Muitas das vezes, esses eventos são em outras cidades ou até mesmo países. E os horários são dinâmicos.

Dicas para quem deseja ser secretária executiva:

Baseando-se nas informações acima, a candidata deve estar preparada. Hoje em dia existem muitos cursos específicos para ser uma secretária executiva. O ideal é ter um bom currículo de cursos, saber falar mais de um idioma, ter domínio na informática e de preferência ter um curso superior.

Se você tem o desejo de ser uma secretária executiva, coloque as dicas em prática e vá atrás de sua vaga!

Por Cristiane Amaral


Confira o que o Desenvolvedor Mobile faz, quanto ganha e que requisitos a pessoa precisa ter para se tornar um.

Se você decidiu ser um Desenvolvedor Mobile e não sabe nem por onde começar, você precisa conhecer todos os passos que um precisa percorrer para obter sucesso em sua trajetória.

Isso porque desenvolver softwares não é uma tarefa fácil, exige estudo, técnica e muito trabalho duro. O caminho é longo e pode demorar anos até que você consiga ganhar algum dinheiro com seu trabalho, mas quem alcança esse objetivo garante que vale a pena.

Confira tudo o que você precisa saber para se tornar um Desenvolvedor Mobile antes de colocar a mão na massa!

O que é o cargo de Desenvolvedor Mobile?

Desenvolvedor Mobile é a pessoa responsável por criar, desenvolver e testar soluções relacionadas à execução de programas, aplicativos e sistemas. O desenvolvedor pode participar de todas as etapas de desenvolvimentos de softwares que permitem o bom funcionamento de um dispositivo, ou pode criar e desenvolver jogos, apps que auxiliam o sistema e outros utilitários.

Imagine que existe uma infinidade de comandos que são usados em softwares de diversas funcionalidades em celulares e tablets. Esses comandos estratégicos precisam ser combinados e distribuídos conforme a especificidade de sua função em plataformas como Android e/ou iOS.

Esse conjunto de estratégias lógicas é conhecido com algoritmo. Se executado de forma errada, o software poderá apresentar um mau funcionamento ou executar uma tarefa diferente daquela para qual deveria ter sido programado. Por isso, esse "caminho" deve ser percorrido corretamente.

Em resumo, as atribuições do cargo de Desenvolvedor Mobile implicam todas as tomadas de decisões minuciosas que contribuem para a realização de um produto final. Desenvolvedores também precisam realizar pesquisas com consumidores de seus produtos, a fim de melhorar a execução deles e corrigir possíveis erros.

Que conhecimentos um Desenvolvedor Mobile precisa ter?

Primeiramente, desenvolvedores precisam dominar os conhecimentos sobre a Lógica da Programação. Para isso, o profissional precisa estudar muito e quando se cansar de estudar, ele precisará estudar ainda mais!

Depois, ele precisará adquirir prática, muita prática!

A Lógica da programação consiste em uma série de conceitos e padrões utilizados por programadores na realização de aplicativos. Independentemente da área de especialização do desenvolvedor, ele precisará dominar todos os elementos pertencentes à Lógica da Programação.

Mas, quais são esses elementos?

Basicamente, para dominar a Lógica da Programação, o desenvolvedor precisa aprender tudo sobre vetores, algoritmos, tomada de decisão estruturada, identificadores, comentários, matemática geral e específica, variáveis, etc.

Para aprender todo esse conteúdo, os interessados em seguir carreira de Desenvolvedor Mobile precisarão, antes de tudo, passar por uma boa escola de T.I. Em outras palavras, antes de pensar em ganhar muito dinheiro, o aspirante precisa investir.

Após passar por um árduo processo de aprendizagem, o desenvolvedor estará apto a mergulhar em projetos ou próprios ou de clientes. É importante ressaltar que o mundo atual gira em torno da tecnologia e não importa o quanto já se tenha criado, sempre haverá espaço para inovações tecnológicas.

Desenvolvedores precisam ter um olhar clínico e entender que o sucesso pode não ser imediato. Ocupar um cargo de Desenvolvedor Mobile em uma empresa significa lidar com desafios e metas a serem cumpridas, além de ter que conviver diariamente sob pressão.

No entanto, quem está buscando seu lugar ao sol não pode desanimar. Lembre-se que para tudo na vida, o esforço é indispensável e que em plena era tecnológica, o retorno será, sem dúvidas, gratificante.

Qual a média salarial de um desenvolvedor Mobile?

O salário do Desenvolvedor mobile depende muito da área em que ele decide se especializar, da empresa para qual ele trabalha e da experiência que o profissional possui. Um profissional em início de carreira pode receber algo em torno de 2 mil reais, mas o salário pode chegar a R$ 12 mil.

Por Nanny Cunha


O supervisor de facilities é o profissional responsável por organizar diferentes grupos de trabalho para que eles desempenhem suas funções da melhor forma possível.

De tempos em tempos surgem novas profissões que são verdadeiras facilitadoras do dia a dia. Pois, sem elas os grupos empresariais não funcionariam direito e acabaria comprometendo o funcionamento das instituições. Por isso, certas funções são indispensáveis em qualquer organização nos dias atuais e uma desses cargos é o de Supervisor de Facilities. Você sabe o que significar exercer essa profissão? O que essas pessoas fazem? E como elas contribuem para o bom funcionamento de uma instituição? Se para todas essas perguntas a sua resposta foi não. Saiba agora algumas informações a respeito dessa profissão e descubra a sua importância. Talvez você possa se interessar tanto por este trabalho que até mude de emprego e encontre a sua verdadeira vocação profissional.

Um supervisor ou uma supervisora de facilities é o profissional responsável por organizar diferentes grupos de trabalho para que eles desempenhem suas funções da melhor forma possível. Para ficar mais claro, imagine a seguinte situação. Em uma empresa de construção, a diferentes grupos de empregados. Cada um desses grupos é responsável por um setor em uma grande obra. Existem as pessoas que fazem parte do grupo da instalação elétrica, da parte da construção em si, da instalação hidráulica, parte de marcenaria, pintores, serventes e tantos outros profissionais Se todos esses grupos de trabalhadores não se organizarem e resolverem trabalharem todos juntos a construção não vai dar certo, pois, um imóvel precisa ser construído passo a passo, cada parte de uma vez. Aí nesse planejamento e, sobretudo, na execução e desenvolvimento entra o trabalho do Supervisor de Facilities. Visto que é esse profissional que coordena as equipes, cobra resultados, fica responsável por montar um cronograma para o trabalho de cada um. Sem ele teria – se grandes prejuízos, como: a obra ficaria paralisada, as pessoas que habitariam o local não teriam onde morar ou trabalhar, os investidores não teriam lucros e os trabalhadores ficariam desempregados, dentre outras perdas.

Hoje no território nacional existem cursos de formação para o cargo de Supervisor de Facilities. Uma das instituições que oferecem esse tipo de formação profissional é a AEA Educação Continuada, centro de formação sediada em São Paulo que está há alguns anos no mercado de formação de novos profissionais e oferece muitos cursos em diferentes campos, dentre eles, pode-se citar: Arquitetura de Interiores e Decoração Residencial; Gerenciamento de Propriedades; Iluminação Artificial – Luminotécnica Aplicada; Incorporação de Edifícios; Norma de Desempenho Habitacional NBR 15575 e outros.

Na instituição paulista, o curso é denominado como Gerenciamento de Facilities ou Facility Management. Mais pessoas que possuem outras formações também podem exercer essa função, como indivíduos formadores em graduações, como: Recursos Humanos, Administração de Empresas, Logística. Ou em cursos técnicos, como: Coordenador Administrativo, Coordenador de Contratos, Coordenador de Serviços Gerais e Encarregado de Serviços Gerais.

Para essa área é necessário que a pessoa tenha alguns pré-requisitos, como: um senso de organização apurado, profissionalismo, proatividade, flexibilidade em lidar com situações conflituosas do dia a dia, paciência, boa argumentação, poder de convencimento, saber ouvir a opinião alheia, saber como tratar os outros, ter uma boa noção de como passar um feedback coerente, dinamismo, senso do coletivo, dentre outras qualidades.

A média salarial dessa função varia de estado para estado, de cidade para cidade e claro de organização para organização. Os vencimentos podem variar entre R$ 2.000,00 a R$ 4.000,00.

O Supervisor de Facilities pode também receber alguns benefícios e bonificações após o serviço prestado. E essa função ainda permite que você trabalhe para uma ou várias instituições, como freelancer trabalhado com diferentes contratos e obras ou só em uma organização com carteira assinada.

Essa função com toda certeza é uma das profissões do futuro. Visto que o Brasil é um país que é um verdadeiro canteiro de obras, devido às empresas que instalam unidades aqui e as extensões territoriais do país.

Pesquise mais sobre essa profissão, pois, com toda certeza profissionais como os Supervisores de Facilities vão ser muito necessários em um futuro próximo.

Por Isabela Castro


O analista em fusões e aquisições é responsável por participar de processos de implantação das transações entre as empresas que estão incorporando e que estão sendo incorporadas por outras.

Se você vai iniciar sua vida profissional ou está pensando em mudar de área de atuação e tem interesse em ser Analista ou Especialista em Fusões e Aquisições, conheça mais informações sobre essa carreira.

Derivada da expressão em inglês mergers & acquisitions (M&A), a área de fusão e aquisição emprega desde jovens profissionais a diretores experientes.

Formação e Perfil

Para atuar na área de fusão e aquisição, o mercado de trabalho exige que os profissionais tenham formação de nível superior completa. Algumas das graduações possíveis são: Administração, Ciências Contábeis, Direito, Engenharias ou Ciências Econômicas.

O perfil dos profissionais para exercerem a função de especialista nesse ramo inclui as seguintes características: ser dinâmico, ter capacidade analítica, ter visão de negócios, ter alto conhecimento sobre a área financeira, ter habilidade de negociação, possuir domínio do idioma inglês e saber utilizar a ferramenta do MS Excel com nível avançado.

Funções

O analista em fusões e aquisições é responsável por participar de processos de implantação das transações entre as empresas que estão incorporando e que estão sendo incorporadas por outras. O objetivo é garantir que as premissas e os cronogramas estipulados para o projeto dessa adaptação entre companhias sejam cumpridos.

Dentre outras atribuições estão: realizar avaliação de mercado a fim de observar oportunidades de venda e compra de empresas; dar apoio na origem das operações; participar na execução de modo a elaborar a valuation (avaliação), due diligence (diligência devida) e cálculos de endividamento, inclusive a análise de balanços.

Além disso, o especialista deve fazer o levantamento, a avaliação do perfil das outras empresas, estudar o mercado, entender sobre o cenário econômico, elaborar modelos financeiros e pesquisar sobre possíveis investidores como intuito de verificar a viabilidade econômico e financeira de uma potencial concretização de compra ou venda entre os negócios.

Atuação

Os profissionais em fusão e aquisição podem trabalhar em diversas instituições como, por exemplo, bancos de investimento, escritórios de advocacia, empresas multinacionais ou boutiques de investimento.

O sucesso nesse ramo depende da construção de uma relação de confiança entre o cliente e o especialista. Também deve-se levar em consideração a busca por soluções criativas que favoreçam os acordos entre as instituições.

Mesmo quando o cenário econômico não parece favorável, há boas expectativas nesse setor, uma vez que diante da crise, o mercado oferta oportunidades para aquisições de empresas que não são muito valorizadas.

As empresas costumam dividir a área em dois grupos, sendo um aqueles que dão origem ao negócio, enxergando oportunidades e buscando acesso aos executivos das outras corporações; e outro é responsável por executar as transações até o final, exercendo capacidade de gestão a fim de concluir os negócios.

Se a transação for de grande porte, a fusão não se encerra com a assinatura dos contratos. Isso também exige do analista que atue por cerca de 6 meses ou até 1 ano para que demonstre resultados como aumento de receita e fatia de mercado.

Faixa Salarial

A depender da região do país, a remuneração oferecida no Brasil para o analista em fusão e aquisição pode variar entre R$ 5 mil até R$ 14 mil. Além disso, podem ser acrescidos percentuais como bônus em cima da concretização de negócios.

Mercado de Trabalho

Tanto no cenário nacional quanto internacional, essa área está em crescimento, tendo em vista o retorno de investimentos realizados pelas grandes empresas. Há uma boa perspectiva para a retomada desse ramo, pois considera-se o retorno eminente e o bom desempenho das novas empresas, resultante das fusões e aquisições.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), entre os meses de janeiro e agosto de 2017, o cargo de especialista em fusão e aquisição teve um crescimento de 43% no mercado de trabalho no âmbito nacional.

Por Melisse V.


Setor de seguros, instituições financeiras e corretoras é o que melhor remunera os empregados no Brasil.

A Catho realizou recentemente uma pesquisa salarial que concluiu que o setor de seguros, instituições financeiras e corretoras é o que melhor remunera os empregados no Brasil. A média salarial paga aos funcionários supera em até 166% a média nacional, estipulada em R$ 2.113.

Em março deste ano, na última pesquisa realizada antes desta, a indústria de autopeças era líder da lista e o segmento financeiro estava no 18ª posição do ranking. Esta seria a 51ª Pesquisa Salarial da Catho, que considera os 12 últimos meses como base para os cálculos.

Com salários que contam com um índice de 85,1% e 62,8% maiores que a média do país, os setores de fabricação de equipamentos de transporte e mineração, extração de óleo e gás ficaram, respectivamente, em 2º e 3º lugar da classificação.

Confira a lista abaixo com a porcentagem que indica o valor médio da remuneração:

1º lugar: Instituições financeiras, seguros e corretoras – 166,8% acima da média nacional.

2º lugar: Fabricação de equipamentos e transporte – 85,1% acima da média nacional.

3º lugar: Mineração, extração de óleo e gás – 62,8% acima da média nacional.

4º lugar: Indústria automotiva – 41,7% acima da média nacional.

5º lugar: Indústria farmacêutica/ cosméticos – 35,4% acima da média nacional.

6º lugar: Fabricação de papel e similares – 24,9% acima da média nacional.

7º lugar: Fabricação de equipamentos elétricos e eletroeletrônicos – 24,1% acima da média nacional.

8º lugar: Indústria metalúrgica de metal primário (aço, ferro e alumínio) – 20,1% acima da média nacional.

9º lugar: Incorporadora e imobiliária – 18,9% acima da média nacional.

10º lugar – Saúde e hospitalar (laboratórios, hospitais, análises clínicas, assistência médica): 16,4% acima da média nacional.

Considerando as áreas com maiores variações na remuneração, a de fabricação de equipamentos e transporte comandou o crescimento entre os anos de 2014 e 2015 com 25,4% de aumento. Em seguida aparece o segmento de saúde e hospitalar com uma variação de 11,4%. O ramo de fabricação de produtos de borracha e plásticos, com 10,7% de aumento, aparece em 3º lugar.

A capacitação do profissional, vinculada à escolaridade, tem grande impacto no salário percebido. Logo, quanto maior o nível de escolaridade maior será a alteração da remuneração. À título de exemplo, nos cargos de diretoria, a diferença salarial pode ser de até 22,5% entre o profissional que tem ensino superior e aquele que cursou uma MBA ou pós-graduação.

Para as pessoas que possuem mestrado, nos cargos de supervisão, o salário médio alcança até R$ 5.172,58, sendo que para quem tem apenas nível superior incompleto o valor recebido é R$ 2.570,85. Nas funções da diretoria, a remuneração é de aproximadamente R$ 12.956,23 para nível superior incompleto e aumenta para R$ 16.901,84 para quem possui mestrado ou doutorado.

A língua estrangeira também é muito valorizada e influencia diretamente no valor do salário, aumentando até 62% de acordo com a função hierárquica ocupada.

Por Bruna Rocha Rodrigues


Uma das preocupações atualmente do mercado de trabalho é com os planos de carreira e salários. Normalmente os funcionários cobram transparência nestes planos, afinal eles querem saber o que devem fazer para ser promovido e para ganhar aumento no salário.

Cursos, línguas estrangeiras, experiência, realizações e bom histórico de faltas e atestados são alguns dos itens que normalmente contam para promoções e aumento salariais.

Quando os requisitos são claros e expostos a todos, não ocorrem crises e todos sabem o que devem saber e correr atrás, para que direcionem suas carreiras e procurem a remuneração que lhes são merecidas.

Por José Alberi Fortes Junior.





CONTINUE NAVEGANDO: