Advogados trabalhistas afirmam que relacionamento amoroso no ambiente de trabalho não pode ser motivo de demissões.

Caso exista um relacionamento afetivo no trabalho, não é motivo de preocupação, uma vez que isso não caracteriza ato grave para que ocorra demissão do funcionário. Porém, não pode ocorrer contato físico no local de trabalho, o que já caracterizaria falta grave e passível de demissão por justa causa.

Beijos, abraços e relações sexuais são os motivos mais comuns de demissões por justa causa. Porém, evitando-se essas situações, não existe nenhum temor por parte dos namorados.

Mas caso o relacionamento seja entre chefe e subordinado, o bom senso reza que pelo menos um deles seja transferido, para evitar mal estar entre outros colegas.

Por José Alberi Fortes Junior





CONTINUE NAVEGANDO: