Empresa disponibiliza vagas de trabalho para os estados de Minas Gerais, Ceará, Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo, Goiás e Paraná.

Entrar no mercado de trabalho através das propostas de emprego não é uma tarefa complicada. Isso porque muitas empresas estão ofertando diversas vagas de trabalho para esta semana de maio. Um exemplo é a Marisol, empresa detentora de marcas como Tigor T. Tigre e Lilica Ripilica, que está disponibilizando ofertas para 7 estados.

De acordo com informações da Marisol, há oportunidades para os estados de Minas Gerais, Ceará, Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo, Goiás e Paraná. Na lista abaixo, você pode conferir as ofertas disponíveis, que visam candidatos com diferentes perfis de ensino. Acompanhe:

  • Analista de Vendas: Para ocupar o cargo o interessado deve ser de Jaraguá do Sul, no estado de Santa Catarina;
  • Supervisor de Vendas: Para ocupar o cargo o candidato deve ser do Rio de Janeiro, no estado do Rio de Janeiro;
  • Gerente de Suprimentos: Para ocupar o cargo o profissional deve residir em Jaraguá do Sul, no estado de Santa Catarina;
  • Analista de Marketing Júnior: Para ocupar o cargo o profissional deve residir em Jaraguá do Sul, no estado de Santa Catarina;
  • Gerente de Loja: Para concorrer a este cargo o interessado deve residir em Itupeva, no estado de São Paulo;
  • Designer: Para ocupar o cargo o profissional deve residir em Jaraguá do Sul, no estado de Santa Catarina;
  • Supervisor de Corte: O cargo deve ser concorrido por profissionais de Pacatuba, localizado no estado do Ceará;
  • Gerente de Planejamento: Este cargo exige que o profissional resida em Jaraguá do Sul, no estado de Santa Catarina;
  • Consultor de Campo: Este cargo deve ser concorrido por trabalhadores de Curitiba, localizado no estado do Paraná;
  • Coordenador de Exportação: Indivíduos de Jaraguá do Sul, no estado de Santa Catarina, podem concorrer a este cargo;
  • Estilista: Portadores de deficiência devem concorrer a este cargo. Contudo, devem ser das cidade de Jaraguá do Sul (em Santa Catarina) e de Pacatuba (no Ceará);
  • Representante Comercial: O cargo exige que os profissionais sejam das cidades de Belo Horizonte (em Minas Gerais), Goiânia (em Goiás) e em Fortaleza (no Ceará).

Quem estiver interessado deve acessar o site da Marisol para realizar o cadastro do currículo. O endereço eletrônico é www.marisolsa.com.br. Através do portal também é possível obter outras informações sobre as propostas de trabalho. Vale lembrar que as vagas podem ser preenchidas sem aviso prévio.

Por Flavinha Santos


Será o 4º ano consecutivo de queda nos empregos na indústria brasileira.

Há algum tempo o povo brasileiro está lidando com a crise. Inflação acima da meta, dólar subindo de preço e o pior: o desemprego aumentando.

O desemprego aumentou em cerca de 5% no segundo setor (indústria), o que representa a maior queda no total de empregados assalariados na atividade industrial, em uma série história do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A queda no emprego já vinha acontecendo há 3 anos consecutivos e, não obstante, 2015 caminha para ser o quarto. O resultado supera o do ano de 2009, que, na época, era considerado reflexo da crise internacional iniciada no ano anterior.

De acordo com André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do IBGE: "O mercado interno é incerto". Macedo explicou ainda que o mercado de trabalho está menos favorável do que o dos anos anteriores, e a possibilidade de crédito para a indústria, como empréstimos, está cada vez mais escassa e cara. Esse comportamento é justamente o reflexo da incerteza do futuro da situação do nosso país.

A indústria é um setor extremamente agregador de valor em uma economia, por isso é preciso estar alerta, uma vez que um declínio na trajetória do setor pode desencadear um comportamento disseminado nos demais. A queda no emprego, por exemplo, acaba reduzindo a produção de bens e, consequentemente, afetando o comércio e serviços.

O gerente de Coordenação afirmou ainda que, atualmente, o quadro é pior que o de 2009, pois desta vez o mercado todo está em desaceleração, gerando um declínio cíclico.

Infelizmente, os trabalhadores brasileiros precisam se acalmar nos próximos meses, pois não há expectativa de boas notícias. O número de horas pagas continua encolhendo, bem como o valor real da folha de pagamento. Além disso, em razão dos cortes que estão ocorrendo no setor, os funcionários estão perdendo seu poder na hora de barganhar por um melhor salário.

Por Júnior Beluzzo


A taxa de empregos na indústria apresentou queda de 5,2% nos primeiros seis meses do ano de 2015. No acumulado dos últimos 12 meses também há a queda, sendo de 4,6%.

O atual cenário econômico brasileiro traz consigo uma grande quantidade de consequências negativas. Um dos setores mais atingidos pela crise é, sem sombra de dúvidas, a indústria, haja vista a queda na taxa de empregos da indústria pelo sexto mês consecutivo. Dessa forma, os dados oficiais apontam que o mês de junho registrou um recuo de 1% quando comparado com maio. Esse é um dado oficial do Instituto Brasileiro de Geografia de Estatística.

O resultado negativo não é exclusivo do mês de junho, pois no primeiro semestre de 2015 o recuo no número de empregos nas fábricas de todo o Brasil já registra um recuo de 5,2%. Além disso, é importante destacar que o resultado acumulado dos últimos doze meses também é negativo: baixa de 4,6%. Outro detalhe muito importante é a comparação com junho de 2014, que aponta um recuo de 6,3% no emprego industrial. Trata-se nada menos que a maior queda desde agosto de 2009.

Os dados apresentados nesta matéria são bastante preocupantes, pois, segundo o IBGE, a grande maioria dos setores que participaram da pesquisa registraram baixas nos empregos quando comparado a junho 2014.

Dentre as categorias que mais sofreram com a baixa de emprego está a de máquinas e aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações que registrou baixa de 13,9%. Logo em seguida temos o segmento de produtos de metal que registrou recuo de 11,8%. O segmento de meios de transporte ficou com baixa de 11,4%. Logo em seguida temos: máquinas e equipamentos, vestuário e alimentos e bebidas com baixas de 8,9%, 6,7% e 3,0%, respectivamente.

Além disso, vale ressaltar que a análise do segundo trimestre mostrou que o nível de assalariados na indústria sofreu retração de 5,8%, portanto, temos a 15ª taxa negativa de forma consecutiva.

Com tais baixas é evidente que a produção industrial também caiu. Mesmo após mostrar resultados positivos em maio, a produção industrial acabou mesmo por registrar uma retração de 0,3% no mês de junho.

Por Bruno Henrique


Foi divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, que houve um crescimento na taxa de emprego na indústria no período entre novembro e dezembro de 2014. De um mês para o outro houve um avanço de 0,4% nessa taxa.

Considera-se que este foi um resultado bastante positivo, visto que as últimas oito taxas registraram quedas, mas este valor não é suficiente para reverter a situação que vem se consolidando como tendência.

O resultado final foi assustador, registrou-se uma queda de 3,2% no ano de 2014, conseguindo pela terceira vez durante três anos consecutivos marcar uma queda na taxa de empregos na indústria. Considerando os resultados obtidos nos últimos três anos, a queda de 2014 foi a mais importante registrando uma baixa de 3,2%. Em 2013 a taxa de emprego na indústria teve uma diminuição de 1,1% e em 2012 foi conseguida uma taxa de 1,2%.

Segundo os dados recolhidos e apurados pelo IBGE, foram detectadas reduções no número de trabalhadores ativos nos 14 locais onde a pesquisa foi desenvolvida. O destaque em reduções no contingente de colaboradores ficou para São Paulo, onde a queda foi de 4,7%. Em comparação ao ano passado, São Paulo diminuiu em 4,3% o contingente de trabalhadores, esse resultado é fruto do montante de demissões ocorridas, já que o ritmo de demissões foi bem acima da média nacional.

Outros estados que registraram negativas nas taxas de emprego na indústria foram Rio Grande do Sul e Paraná (ambos com -4,2%), Minas Gerais e Rio de Janeiro (ambos com queda de 2,8%), Região Nordeste (-2,1%), Regiões Centro-Oeste e Norte (-1,7%).

O registro fornecido pelo IBGE informa que dos 18 ramos de atividades analisados, 17 tiveram quedas. Alguns dos setores com pior desempenho foram produtos de metal, aparelhos eletrônicos e comunicação, meios de transporte e máquinas e equipamentos.

Outro indicador que conseguiu registrar queda pela terceira vez seguida foi o de horas pagas na indústria, de 2013 a 2014 houve uma queda de 3,9% nesse índice. O pior resultado alcançado desses três anos foi obtido em 2009 quando era de -5,9% comparado com o resultado de 2008.

Mais informações sobre a atual condição econômica da indústria estão publicadas no endereço eletrônico do IBGE www.ibge.gov.br.

Por Melina Menezes


A Indústria Gráfica Gonçalves S/A  foi fundada em 1939 e é referência no setor com unidades no Brasil e no México. A mesma possui matriz localizada em Alphaville na região de Barueri e disponibiliza vagas para Assistente de PCP em sua nova unidade na cidade de Cajamar, em São Paulo.

O salário é passado apenas no ato da entrevista  porém, os benefícios contam com: Assistência Médica, Alimentação, Atividades Esportivas e de Lazer, além de outros, já que a empresa visa a valorização e desenvolvimentos dos seus recursos humanos oferecendo ainda cada vez mais oportunidades aos seus colaboradores.

Para todas as vagas é necessário que os candidatos residam próximo ou tenham fácil acesso ao local de trabalho. Necessário experiência em indústria gráfica, domínio em PCP, planejamento e controle de produção. Desejável Curso Técnico de Artes Gráficas ou Ensino Superior em Engenharia ou Administração de Empresas.

Os interessados devem comparecer com documentos e referências na Alameda Araguaia, n° 1602 – Alphaville – Barueri – São Paulo; ou enviar curriculo com pretensão salarial para rhgoncalves@goncalves.com.br 

O telefone para mais informações quanto a esta e outras vagas disponíveis é 11- 4689- 4700.

Por Luciana Ávila


Interessados em se inserir ou realocar-se no mercado de trabalho de Ribeirão Preto, no Estado de São Paulo, devem ficar atentos. A Indústria de Alimentos Santa Helena está em busca de 59 novos colaboradores para atuarem de forma efetiva. Há vagas para funções de nível fundamental, médio e superior.

As oportunidades são para os cargos de: vendedor externo, auxiliar de limpeza, coordenador de trade marketing, auxiliar de produção, mecânico de manutenção industrial, supervisor de produção, porteiro e uma vaga para pessoa com deficiência.

O valor da remuneração não foi divulgado pela empresa. Todos os contratados receberão os seguintes benefícios: vale-alimentação, refeição na empresa, participação nos lucros, vale-transporte, assistência médica, assistência odontológica, seguro de vida e premiação.

Interessados em participar do processo seletivo devem encaminhar currículo, até o dia 11 de janeiro, para o e-mail talentos@santahelena.com ou entregá-lo pessoalmente na sede da Santa Helena, em dias úteis, das 8h às 18h.

Confira detalhes para cada uma das funções:

Auxiliar de Limpeza – 03 vagas

Auxiliar de Produção – 50 vagas: necessário ter concluído o ensino fundamental, além de noções em montagem de pallets.

Coordenador de Trade Marketing – 01 vaga: necessário ensino superior em Administração ou Marketing, além de disponibilidade para viagens.

Mecânico de Manutenção Industrial – 01 vaga: necessário curso profissionalizante em mecânica.

Porteiro – 01 vaga: necessário ensino médio completo.

Supervisor de Produção – 01 vaga: necessário ensino superior em Engenharia de Alimentos ou Produção.

Vendedor Externo – 01 vaga: necessário ensino superior em andamento, além de experiência na função.

Pessoa com deficiência – 01 vaga.

Por Rafaela Fusieger


A Indústria Ypê está contratando Operadores para vários setores da linha de produção da empresa em Anápolis, Goiás.

As vagas são para Operadores de Envasadeira, Encaixotadora, Embaladeira, Rotuladeira, Reator, Máquina de Sopro Plástico e de ETE (Estação de Tratamento de Efluentes).

Os selecionados irão operar máquinas ou equipamentos totalmente automatizados para cumprir uma das etapas de produção da marca.

As atividades devem ser cumpridas dentro dos prazos e da qualidade estabelecida pelos programas internos da empresa.

Os candidatos devem ter conhecimentos sobre sistemas de pesos e medidas, manutenção e ajuste de equipamentos e noções de informática.

O salário é compatível com o mercado e o pacote de benefícios inclui plano de saúde, plano odontológico, seguro de vida em grupo, participação nos lucros da empresa, cesta com produtos Ypê, subsídios para cursos, transporte e restaurante.

Os currículos podem ser enviados pelo endereço www.ype.ind.br.

Por R. Oliveira


A empresa AST Facilities, empresa que atua no ramo de intermediação entre empresas e profissionais, está á frente de uma grande seleção em Porto Alegre. Serão cerca de 50 vagas destinadas a área industrial da cidade e também da Região Metropolitana de Porto Alegre. As oportunidades são para diversas empresas clientes AST.

Existem oportunidades para soldadores, tubuladores, caldeireiros, que irão atuar em regime temporário para a ampliação da fábrica da Ambev, localizada na cidade de Viamão. Existem também vagas de montadores, comprador, técnico de segurança do trabalho, entre outros.

Os interessados deverão comparecer pessoalmente a sede da AST, que fica na Rua Sete de Setembro, nº 1.096, 11º andar – Centro de Porto Alegre, munidos de currículos e documento de identidade.

Por R.D.





CONTINUE NAVEGANDO: