Atualmente falar uma segunda língua é muito importante para uma boa colocação no mercado de trabalho, pois te coloca na frente em uma concorrência pelas vagas mais cobiçadas, assim como abre outras possibilidade de vagas onde exigem como critério básico saber se comunicar com estrangeiros.

E como se isso não bastasse, pesquisadores escoceses do Centre for Cognitive Ageing and Cognitive Epidemiology, monitorados pelo professor Thomas Bak, concluíram que  saber outras línguas aumenta a inteligência dos jovens.

A pesquisa aponta que mesmo quando a segunda língua é aprendida na fase adulta, a fluência verbal e de leitura influenciam significativamente na inteligência das pessoas.

Os estudos foram desenvolvidos na Universidade de Edimburgo, na Escócia. Na oportunidade foram estudadas 262 pessoas, aproximadamente. Num primeiro momento, o grupo foi submetido a um teste quando tinham onze anos de idade, já o segundo momento quando os mesmos tinham mais de 70 anos.

A conclusão do estudo que foi publicado na revista científica Annals of Neurology,  foi que as habilidades cognitivas na fase adulta foram significativamente melhores do que as registradas na infância. Todos no grupo garantiram que consigam se comunicar facilmente com outras pessoas em outra língua além do inglês.

Anteriormente, uma outra pesquisa concluiu que ser bilíngue poderia atrasar em vários anos o desenvolvimento de demência. Ou seja, garantiria mais inteligência para qualquer pessoa ajudando no desenvolvimento até em casos mais graves. Todos os participantes disseram ser capazes de se comunicar em pelo menos uma outra língua além do inglês.

Das 262 pessoas, 195 aprenderam a segunda língua antes dos 18 anos de idade e 65 aprenderam depois dos 18 anos de idade. A pesquisa foi feita entre os anos de 2008 e 2010.

O professor que comandou a pesquisa afirma que os resultados são bastante consideráveis, e que milhões de pessoas que aprenderem um segundo idioma, em qualquer idade poderão tirar proveito desse aumento de inteligência.

Por Vivian Schetini


O conhecimento sobre línguas estrangeiras tem sido de extrema importância em várias situações, seja para uma entrevista de emprego ou para ingressar em uma universidade ou faculdade.

Mesmo algumas pessoas tendo um nível de conhecimento superior em outras línguas, podem se perder em uma conversa devido ao nervosismo e ansiedade, e isso em uma reunião pode vir a atrapalhar.

Algumas dicas podem ajudar a inverter essa situação e a reunião ser um sucesso:

1- Pratique as línguas que já têm uma base:

Pode ser em uma conversa com os amigos ou então em frente ao espelho, mas pratique, forme frases, leia textos. Também vale usar música e filmes como aliados para ampliar o vocabulário.

2- Tenha certeza do que está falando:

Não adianta querer empregar uma palavra que não se tem muito conhecimento em uma frase, você pode colocar todo o contexto a perder se não souber realmente usar as palavras.

3- Não fique enrolando, seja breve e claro:

Muitas vezes no nervosismo, acabamos querendo acrescentar coisas desnecessárias e nos perdendo do foco. Por isso, uma frase simples e direta pode ser muito melhor que uma declaração.

4- Visão:

Sempre que possível, tente fazer uso de recursos visuais, pois a comunicação não se dá apenas através de palavras, mas de imagens também. Também facilitaria caso tenha a necessidade de fazer comparações, entre outros.

5- Tecnologia:

A tecnologia pode ser uma grande aliada, pois é um meio bem comum de se driblar o nervosismo e ansiedade.  A Conference Call pode ser uma ótima opção na hora de utilizar a tecnologia.

6- Companheiro de idioma:

Caso se sinta inseguro, é uma boa ideia levar com você alguém que tenha o mesmo nível ou até mesmo esteja em um nível superior do idioma requisitado. Assim, além de uma maior confiança, um completa o outro evitando erros durante a conversa.

7- Tranquilidade:

Esteja tranquilo, relaxado. Lembre-se de que se você praticou, você pode levar esta reunião super bem, confie em si mesmo.

Por Ingrid Oliveira


O processo de seleção do mercado de trabalho vive um momento rígido.

O currículo profissional precisa estar cada vez mais atualizado para acompanhar as necessidades e expectativas das grandes empresas.  

Para quem almeja um crescimento, a língua estrangeira é um dos primeiros pontos na construção de uma carreira profissional.

Falar outro idioma se tornou uma condição de sobrevivência no mercado e pode conquistar um salário até 70% maior. O avanço da globalização se tornou o fator que mais influi na necessidade de aprendermos outro idioma.

Saber um idioma novo nos permite quebrar as barreiras do conhecimento cultural, gerando uma compreensão mais concreta do que acontece lá fora.

A falta de uma língua estrangeira no currículo pode se tornar um problema para quem já está no mercado há mais tempo e não se atualizou. O profissional que não se recicla tende a ser superado por jovens talentos, que já estão se adaptando às novas exigências do mundo do trabalho. 

Dominar outra língua é sinônimo de desenvolvimento, um item básico para obtermos destaque no mercado de trabalho. Ser bilíngue é um sinal de que podemos acompanhar as mais rápidas mudanças do mundo e que estamos prontos para uma interação global.

Saber um novo idioma é ter uma boa comunicação com o mundo.

Por Dayane Garcia


A Plan Idiomas Direcionados, presente no Estado do Rio de Janeiro desde 1986, está com um oferta imperdível para profissionais de Letras. A empresa está contratando professores que queiram trabalhar com as línguas inglesa, espanhola, italiana, francesa, alemã, mandarim e russa, além da língua portuguesa (para estrangeiros).

Para se inscrever, é necessário que os candidatos apresentem fluência nativa em quaisquer desses idiomas. A empresa oferece salário compatível com o mercado e, dentre outros benefícios, porcentagem nos lucros da empresa.

Cadastre seu currículo no site da Plan Idiomas (www.planidiomas.com.br) e torça para ser um dos escolhidos para a entrevista.

Por Camila Porto de Camargo





CONTINUE NAVEGANDO: